Pfizer anuncia que irá testar vacina contra Covid-19 em jovens a partir dos 12 anos

Farmacêutica norte-americana Pfizer recebeu aprovação da agência de alimentos e medicamentos dos EUA, a FDA, para iniciar a fase de vacinação experimental contra a Covid-19 em adolescentes de 16 e 17 anos. A seguir, será a vez dos que têm 12 anos

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Começa ainda esta semana nos Estados Unidos a vacinação experimental em adolescentes de 16 e 17 anos. A seguir, será a vez dos que têm 12. A iniciativa é da empresa farmacêutica Pfizer que recebeu aprovação da agência americana de alimentos e medicamentos, a FDA.

Essa será a primeira vacina contra COVID-19 a envolver adolescentes no país. E os pais deles se interessaram em inscrever seus filhos, disse à CNN o Dr Robert Frenck, diretor do Centro de Pesquisas de Vacinas do Hospital Infantil de Cincinnati, nos Estados Unidos.

"Nós realmente acreditamos que a vacina para crianças e adolescentes será fundamental para controlar a doença", comentou o médico em entrevista por telefone. "É importante lembrar que embora a taxa de contaminação nesta faixa etária seja menor do que a adultos, ainda assim ela não é zero".

Quinhentos mil americanos jovens foram diagnosticados com a COVID-19. E há sequelas. Eles podem infectar grupos mais vulneráveis à doença, como pais e avós, além de trabalhadores da área da saúde. E podem desenvolver um efeito colateral raro, mas até mesmo fatal: A Síndrome Inflamatória Multissistêmica.

O médico acredita que a taxa de contaminação em crianças e adolescentes seja maior do que o divulgado oficialmente.

"Acho que há uma subnotificação nelas porque, aos olhos dos pais, ás vezes elas não aparentam estar doentes o suficiente para uma ida ao médico", disse o Dr Frenck se referindo, por exemplo, a uma coriza ou a um resfriado. "E na maioria dos casos, um resfriado é causado pelo coronavírus.

Os Estados Unidos têm oficialmente, segundos dados de ontem (13) da Organização Mundial de Saúde (OMS), 7.728.000 infectados e 213.000 mortes.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email