Quarentena, isolamento e distanciamento. Três palavras com significados diferentes no combate ao coronavírus

Pode parecer bobagem, mas o não entendimento do que cada uma quer dizer pode atrapalhar – e muito – na contenção da disseminação do novo coronavírus

Fila na Caixa, no Rio de Janeiro, para retirar ajuda do governo pelo coronavírus 5//5/2020
Fila na Caixa, no Rio de Janeiro, para retirar ajuda do governo pelo coronavírus 5//5/2020 (Foto: REUTERS/Pilar Olivares)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Cristiane Bomfim, da Agência Einstein - Apesar de terem significados distintos, as palavras quarentena, isolamento e distanciamento são, muitas vezes, usadas para dizer a mesma coisa no dia a dia. Especialmente como termos como sinônimos para o distanciamento físico amplo da sociedade que foi imposto por vários governantes ao redor do mundo. Pode parecer bobagem, mas o não entendimento do que cada uma quer dizer pode atrapalhar – e muito – na contenção da disseminação do novo coronavírus. Afinal, cada um faz o que bem entende, e fica difícil até explicar o que é necessário para proteger a sociedade. Para esclarecer os significados destes três termos tão frequentes nos dias de hoje, a Agência Einstein pediu ajuda do médico do Hospital Israelita Albert Einstein e professor e pesquisador da Universidade de São Paulo, Marcio Sommer Bittencourt.

Isolamento – é o termo utilizado para o afastamento de quem está doente – infectado pelo vírus da Covid-19. Todo indivíduo diagnosticado com Covid-19, que precisou ser internado ou está em casa, deve ficar sozinho, isolado qualquer outra pessoa por no mínimo 10 dias a partir dos primeiros sintomas ou do resultado do exame de RT-PCR, caso não tenha sintomas. O objetivo do isolamento, é evitar que a pessoa infectada transmita o vírus. “O isolamento deve ser feito de forma individual. É simples: basta não encontrar ninguém neste período. A atitude deve ser praticada por todas as pessoas com diagnóstico confirmado de Covid-19 ou suspeita, mesmo que sem a realização de teste”.

Quarentena – Em epidemiologia o termo ficar em quarentena significa ficar afastado pelo risco de estar infectado. Ela é indicada para pessoas que – mesmo sem sintomas – tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, uma vez que elas podem estar infectadas e ainda não apresentarem sintomas. Neste caso é orientado a quarentena sozinho, afastado das outras pessoas por 14 dias a partir da data de confirmação do caso com quem a pessoa teve contato. A ideia é evitar a transmissão no período assintomático, observar precocemente o aparecimento dos sintomas e realizar os cuidados médicos necessários. “Na quarentena, a pessoa deve ficar em casa, afastada do contato com pessoas que não tiveram contato com outras que estavam doentes, para observação dos sintomas”, explica Bittencourt. 

Distanciamento – “Eu particularmente não gosto de distanciamento social. Acho que o certo deveria ser distanciamento físico. O que importa para a propagação do vírus é a proximidade entre as pessoas. Não queremos ninguém solitário em casa, queremos que as pessoas estejam bem e interajam socialmente de casa, por exemplo. O distanciamento físico é bilateral e demonstração de respeito pela segurança dos outros”, diz. O termo distanciamento físico é utilizado para todas as medidas que tentam afastar as pessoas umas das outras, independentemente da presença de sintomas. Inclui as medidas adotadas por várias cidades, entre elas São Paulo, para reduzir a circulação de pessoas em áreas públicas (ruas, praças, parques) e privadas (shoppings, supermercados e restaurantes) por meio de medidas restritivas, como por exemplo fechamento do comércio. Também inclui a orientação de ficarmos a mais de dois metros uns dos outros, por exemplo. Para o médico do Einstein, além das medidas de distanciamento físico, isolamento e quarentena, o uso de barreiras protetivas, como máscaras e álcool gel também são essenciais para a contenção do vírus.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247