Testes para Covid-19 são vendidos por R$ 251 no Rappi

Testes para o coronavírus passaram a ser vendidos pelo aplicativo Rappi por R$ 251 cada, a preço de custo. Cada cliente pode comprar até cinco testes, para pessoas com pelo menos 10 anos de idade

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Testes para o coronavírus passaram a ser vendidos a partir desta quarta-feira (20) pelo aplicativo Rappi por R$ 251 cada, a preço de custo. A ação é realizada pelo movimento #2em2: a cada exame comprado, um será doado para alguém que não pode pagar. O exame será feito em esquema drive-thru, no estacionamento de shoppings de grandes cidades. Por enquanto o serviço funciona apenas em São Paulo. Há agendamentos disponíveis para a partir da próxima segunda-feira (25) no Shopping Iguatemi, na Avenida Faria Lima. De acordo com a Faculdade de Medicina do ABC, a precisão do resultado é de 94%. A capacidade de atendimento é de cerca de 800 pessoas por dia.

Cada cliente pode comprar até cinco testes, para pessoas com pelo menos 10 anos de idade. Se quiser, pode doar mais 5 testes (além dos que já serão doados pelo movimento), pelo mesmo valor. Os pacientes receberão um link por e-mail para ver o resultado entre dois e cinco dias após a coleta.

"Estamos empenhados em usar nosso potencial de alcance e nossa tecnologia para ser a ferramenta de acesso da população aos testes", afirma  o presidente da Rappi Brasil, Sérgio Saraiva. "Criamos um botão no nosso app para que os usuários possam adquiri-los — e também doar outros —, agendar o melhor dia e horário para ir ao local de coleta e fazer o pagamento digital, via app", acrescenta. Os relatos foram publicados no canal Tilt, do portal Uol

Os testes vendidos no Rappi são sorológicos, feitos a partir da amostra de sangue do paciente. Por consequência, é possível detectar anticorpos de quem já teve a doença, mesmo se já se passaram semanas e se não houve sintomas. Outras formas de testagem, sem ser pelo aplicativo, são feitas com raspagem de nasofaringe (secreções), que apenas detectam o vírus na fase sintomática da doença.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247