Chamado de "prevaricador" por Omar Aziz, Wagner Rosário responde: "calúnia é crime"

O presidente da CPI da Covid pediu ao relator, Renan Calheiros, que o nome do ministro da CGU conste no relatório pelo crime de prevaricação

Wagner Rosário
Wagner Rosário (Foto: Marcello CasalJrAgência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News

Por Thayná Schuquel e Marcelo Montanini, Metrópoles - O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, rebateu nesta quarta-feira (15/9) o pedido do presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), para incluí-lo no relatório da comissão pelo crime de prevaricação. “Calúnia é crime”, escreveu Rosário nas redes sociais.

Mais cedo, Aziz pediu a inclusão do nome do ministro da CGU ao relator, Renan Calheiros (MDB-AL).

Leia a íntegra no Metrópoles.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email