CPI ouvirá familiares de vítimas da covid-19 e médico que coordenou estudo que seria avaliado pela Conitec

Últimos depoimentos serão colhidos pela CPI no dia 18 de outubro

Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia
Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News

Agência Senado - A CPI da Pandemia agendou uma reunião deliberativa remota às 10h desta sexta-feira (15) para votar dois requerimentos. Um para realização de audiência pública, com o objetivo de ouvir relato de familiares e vítimas da covid-19 e outro para convocação do médico pneumologista Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho. Ambos os requerimentos partiram do vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O médico Carlos Carvalho é o responsável por coordenar um estudo com parecer contrário ao uso dos remédios do chamado "kit covid" no combate ao coronavírus. O estudo seria avaliado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do Sistema Único de Saúde (Conitec), mas foi retirado da pauta do órgão.

"Propagandeados pelo presidente Jair Bolsonaro ao longo de toda a pandemia, os medicamentos são comprovadamente ineficazes contra a doença", alertou Randolfe em seu requerimento. 

PUBLICIDADE

Vítimas

O senador argumenta ainda que ouvir as vítimas do novo coronavírus é importante nesta reta final de trabalhos da comissão e é "uma forma de se dar voz a milhares de outras famílias brasileiras que foram dilaceradas pela pandemia". 

Conforme proposto pelo requerimento do parlamentar, os convidados representam as cinco regiões do país:

* Norte: Mayra Pires Lima, enfermeira de Manaus. Perdeu a irmã, que deixou 4 filhos, por conta do colapso no fornecimento de cilindros de oxigênio em Manaus, no início deste ano;

PUBLICIDADE

* Nordeste: Geovana Dulce, jovem de 19 anos. Perdeu a mãe e terá a guarda da irmã de 10 anos, sendo a nova chefe da família; 

* Sudeste: Kátia Shirlene Castilho dos Santos. Perdeu pai e mãe. Ela acompanhou a mãe em sua internação na Prevent Senior, em São Paulo, e o tratamento com base no "kit covid";

* Sul: Rosane Brandão. Perdeu o marido, que era professor da Universidade Federal de Pelotas;

PUBLICIDADE

* Centro-Oeste: Jarquivaldo Bites Leite. Em tratamento com graves sequelas. Por impedimento médico de viajar de avião, virá de carro com acompanhante.

Segundo Randolfe, além destes convidados, devem estar presentes ainda um representante da ONG Rio de Paz e o taxista Marcio Antônio do Nascimento Silva, que perdeu o filho para a covid-19. Em abril de 2020, na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, Silva recolocou as cruzes que lembravam as vítimas da doença, numa manifestação simbólica pelo combate à pandemia. 

Reta final

A oitiva dos médicos e das vítimas está prevista para 18 de outubro. No dia 19, será feita a apresentação de leitura do voto do relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL). A votação está marcada para o dia seguinte, após a vista coletiva ao relatório. 

PUBLICIDADE

Nas redes sociais, durante o feriado, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), lembrou que a comissão vem prestando serviços importantes ao país, e "o que mais for útil para contribuir para o debate será bem-vindo". 

"Agora vamos tentar tirar o máximo do médico Carlos Carvalho. Ele também está pesquisando  um protocolo de medicamentos para serem usados nas unidades básicas de saúde no tratamento da covid. Não esse 'tratamento precoce' propagado pelo governo, onde até a bula de um remédio tentaram mudar por decreto. É um estudo sério", informou o presidente da CPI. 

Em outra postagem, Aziz disse ainda que, apesar de a CPI não ouvir pela terceira vez o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ele não será esquecido pelo relator. O comando da CPI chegou à conclusão de que o chefe da pasta não teria muito mais a acrescentar ao relatório final.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email