STF autoriza empresário apontado como 'número 2 informal' de Pazuello na Saúde a ficar em silêncio na CPI

Ministro Gilmar Mendes acatou parcialmente o pedido de habeas corpus de Airton Cascavel, que depõe nesta quinta à CPI

(Foto: Reprodução (Facebook))
Siga o Brasil 247 no Google News

Do Metrópoles - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu, nesta quarta-feira (4/8), ao empresário Airton Antônio Soligo, conhecido como Airton Cascavel, o direito de ficar em silêncio no depoimento que prestará à CPI da Covid-19, marcado para esta quinta-feira (5/8).

Gilmar, todavia, determinou que o empresário deve comparecer ao depoimento e pode estar acompanhado de advogado.

Cascavel atuou informalmente como “número dois” do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Após a informalidade vir à tona, Pazuello o nomeou como assessor especial, cargo ocupado de junho de 2020 a março de 2021.

PUBLICIDADE

 Continue lendo no Metrópoles

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email