Banda Eagles of Death Metal retorna a Paris depois de ataques

O Eagles of Death Metal, a banda que se apresentava no palco quando ocorreu o mais letal dos ataques do Estado Islâmico em Paris em 13 de novembro, fez uma aparição emotiva e forte em um show do U2 na capital francesa; liderada pelo vocalista Jesse Hughes vestido com um terno branco, na Arena Accorhotels, a banda de rock californiana interpretou uma versão de Patti Smith de "People have the Power" e depois uma canção própria, "I Love You All The Time"

O Eagles of Death Metal, a banda que se apresentava no palco quando ocorreu o mais letal dos ataques do Estado Islâmico em Paris em 13 de novembro, fez uma aparição emotiva e forte em um show do U2 na capital francesa; liderada pelo vocalista Jesse Hughes vestido com um terno branco, na Arena Accorhotels, a banda de rock californiana interpretou uma versão de Patti Smith de "People have the Power" e depois uma canção própria, "I Love You All The Time"
O Eagles of Death Metal, a banda que se apresentava no palco quando ocorreu o mais letal dos ataques do Estado Islâmico em Paris em 13 de novembro, fez uma aparição emotiva e forte em um show do U2 na capital francesa; liderada pelo vocalista Jesse Hughes vestido com um terno branco, na Arena Accorhotels, a banda de rock californiana interpretou uma versão de Patti Smith de "People have the Power" e depois uma canção própria, "I Love You All The Time" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Julien Pretot

PARIS (Reuters) - O Eagles of Death Metal, a banda que se apresentava no palco quando ocorreu o mais letal dos ataques do Estado Islâmico em Paris em 13 de novembro, fez uma aparição emotiva e forte em um show do U2 na capital francesa na noite de segunda-feira.

Liderada pelo vocalista Jesse Hughes vestido com um terno branco, na Arena Accorhotels, a banda de rock californiana interpretou uma versão de Patti Smith de "People have the Power" e depois uma canção própria, "I Love You All The Time."

"Nada mais, a não ser apresentá-los a algumas pessoas cujas vidas serão para sempre parte de Paris. São os nossos irmãos, que tiveram sua jornada roubada há três semanas", disse o vocalista do U2, Bono, no final do último show da turnê Innocence and Experience, referindo-se às apresentações da banda norte-americana canceladas na sequência dos ataques.

Os ataques coordenados na capital francesa mataram 130 pessoas, a maioria delas na casa de espetáculos Bataclan, onde o Eagles of Death Metal, também conhecido como EODM, se apresentava.

Alguns fãs foram ao show de segunda-feira à noite envoltos em bandeiras francesas e a segurança era ostensiva, já que a França está sob estado de emergência. Um helicóptero pairou por duas horas acima da arena antes do show, e os espectadores foram informados de que o acesso à arena, que tem capacidade para 20 mil pessoas, seria por uma entrada na parte detrás. Nenhum incidente foi relatado.

O Eagles of Death Metal, cujo cofundador Josh Homme, também vocalista do Queens of the Stone Age, raramente faz turnês com a banda e não estava no show no dia dos ataques, disse após o tiroteio que eles querem ser os primeiros a tocar no Bataclan quando for reaberto.

O U2, que deu apoio logístico à banda após os ataques, tinha negado que o Eagles iria aparecer em seu show no domingo, quando Patti Smith subiu ao palco para fechar o primeiro dos dois shows do grupo irlandês em Paris.

(Reportagem de Julien Pretot)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247