Barbara Heliodora, crítica teatral, morre aos 91 anos

Temida e respeitada por sua erudição, rigor e alto grau de exigência quando assistia a uma peça e escrevia a crítica, ela era considerada por muitos a "Dama de Ferro" do teatro brasileiro 

Temida e respeitada por sua erudição, rigor e alto grau de exigência quando assistia a uma peça e escrevia a crítica, ela era considerada por muitos a "Dama de Ferro" do teatro brasileiro 
Temida e respeitada por sua erudição, rigor e alto grau de exigência quando assistia a uma peça e escrevia a crítica, ela era considerada por muitos a "Dama de Ferro" do teatro brasileiro  (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - A crítica teatral Barbara Heliodora morreu na manhã desta sexta-feira (10), aos 91 anos. Ela estava internada no Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio, desde o dia 23 de março.

Barbara Heliodora era a maior tradutora e divulgadora da obra do dramaturgo inglês William Shakespeare no Brasil.

Temida e respeitada por sua erudição, rigor e alto grau de exigência quando assistia a uma peça e escrevia a crítica, ela era considerada por muitos a "Dama de Ferro" do teatro brasileiro. Nascida no Rio de Janeiro, no dia 29 de agosto de 1923, Barbara estreou na imprensa em 1944, em O Jornal. Na época ainda assinava com seu nome de batismo: Heliodora Carneiro de Mendonça Bueno.

Em 1972, escreveu "Algumas reflexões sobre o teatro brasileiro" e em 1975, como acadêmica da USP, defendeu a tese de doutorado "A expressão dramática do homem político em Shakespeare"

Em 2000, a convite da Academia Brasileira de Letras, escreveu "Martins Pena, uma introdução", sobre um dos pioneira da comédia de costumes no Brasil. Em 2004, lançou uma coletânea de ensaios: "Reflexões Shakespearianas". E em 2005, escreveu "Brasil, Palco e Paixão" - Um século de Teatro", junto com outros quatro autores.

Barbara também escreveu o livro 'Caminhos do teatro ocidental', lançado em 2013, fruto de quase 20 anos de trabalho (de 1966 a 1985) como professora de história da dramaturgia no antigo Conservatório de Teatro, atual curso de teatro da UniRio.

Em 2014, lançou "Shakespeare: o que as peças contam — Tudo o que você precisa saber para descobrir e amar a obra do maior dramaturgo de todos os tempos".

No dia 24 de setembro de 2014, a Medalha do Mérito Cesgranrio foi concedida a Bárbara Heliodora, que era membro do Conselho de Cultura da Cesgranrio. A maior comenda da instituição é concedida para homenagear personalidades que se destacam por relevantes serviços prestados à educação e cultura do Brasil.

Barbara trabalhou de 1958 a 1964 no Jornal do Brasil, onde assinou uma coluna especializada em teatro, no suplemento dominical.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247