"Bebo Brasil e digo que eles não passarão", afirma Luis Nassif

Jornalista escreve sobre o vírus assassino se espalhou com as manifestações estimuladas por um presidente da República insano, cercado de terraplanistas desvairados e suportados por instituições acovardadas

Jornalista Luis Nassif
Jornalista Luis Nassif (Foto: Editora 247)

Trecho da coluna de Luis Nassif, no GGN – E agora? Trancado em casa, sem poder sair, vendo se espalhar um vírus que ataca com a letalidade de uma gripe espanhola, que invade sem sutileza os ambientes mais improváveis, como proteger minhas seis meninas, quatro filhas, duas netas, expostas a um país que perdeu o rumo?

Pior, sabendo que o vírus assassino se espalhou pela cidade com as manifestações estimuladas por um presidente da República insano, cercado de terraplanistas desvairados e suportados por instituições acovardadas, sem sentimento de Brasil.

Aí ligo o Youtube e vou atrás da alma brasileira, a música que melhor sintetiza meu sentimento de Brasil, o “Que nem jiló”, de Luiz Gonzaga, cantada por corais em homenagem à morte da professora que os ensinou.

E ouvindo, e vendo a celebração em torno da música, a maneira como se enfrenta a perda, me passa a esperança de que eles não passarão.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247