Boca Livre quer mudar nome de operação da PF

Grupo vocal que fez sucesso na MPB não gostou de ter seu nome usado na operação que investiga fraudes na Lei Rouanet; Zé Renato, líder do quarteto, chegou a sugerir outros nomes;  "Operação Tira Gosto ou, quem sabe, Operação Rega Bofe ou, já que é PF, Operação Prato Quente"

Grupo vocal que fez sucesso na MPB não gostou de ter seu nome usado na operação que investiga fraudes na Lei Rouanet; Zé Renato, líder do quarteto, chegou a sugerir outros nomes;  "Operação Tira Gosto ou, quem sabe, Operação Rega Bofe ou, já que é PF, Operação Prato Quente"
Grupo vocal que fez sucesso na MPB não gostou de ter seu nome usado na operação que investiga fraudes na Lei Rouanet; Zé Renato, líder do quarteto, chegou a sugerir outros nomes;  "Operação Tira Gosto ou, quem sabe, Operação Rega Bofe ou, já que é PF, Operação Prato Quente" (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O grupo vocal Boca Livre, que fez sucesso nos anos 80 com canções como Toada e Quem tem a Viola, não gostou de ter seu nome usado na operação que investiga fraudes na Lei Rouanet, deflagrada na semana passada.

Zé Renato, líder do quarteto, chegou a sugerir outros nomes.  "Operação Tira Gosto ou, quem sabe, Operação Rega Bofe ou, já que é PF, Operação Prato Quente"

"Brincar era o melhor que eu podia fazer nessa situação", diz Zé Renato.

"Um funcionário da Polícia Federal afirmou que a operação não foi uma homenagem à banda, mas sim ao uso de dinheiro de imposto abdicado pelo Estado que acabava em... bem, boca livre", diz reportagem de Chico Felitti.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247