Caetano Veloso: é hora de dar um basta à imbecilização da sociedade

A manifestação pró Haddad nos Arcos da Lapa (Rio de Janeiro) marcou uma forte inflexão na classe artística na reta final da campanha; ao defender a 'complexidade' consequente da fala de Mano Brown, Caetano Veloso produziu um dos enunciados mais contundentes da campanha anti-fascista; ele disse: "o Brasil tem sido bombardeado há décadas por discursos de sociólogos que usam palavrões em suas análises e apostam na imbecilização da sociedade. Temos que encontrar meios de dizer a esses eufóricos [eleitores do Bolsonaro] do perigo à democracia. Me oponho à 'cafajestização' do homem brasileiro"

Caetano Veloso: é hora de dar um basta à imbecilização da sociedade
Caetano Veloso: é hora de dar um basta à imbecilização da sociedade (Foto: Mídia NINJA)

247 - A manifestação pró Haddad nos Arcos da Lapa (Rio de Janeiro) marcou uma forte inflexão na classe artística na reta final da campanha. Ao defender a 'complexidade' consequente da fala de Mano Brown, Caetano Veloso produziu um dos enunciados mais contundentes da campanha anti-fascista. Ele disse: "o Brasil tem sido bombardeado há décadas por discursos de sociólogos que usam palavrões em suas análises e apostam na imbecilização da sociedade. Temos que encontrar meios de dizer a esses eufóricos [eleitores do Bolsonaro] do perigo à democracia. Me oponho à 'cafajestização' do homem brasileiro".

Caetano Veloso teve a sensibilidade para perceber que ao recusar a 'festa' tradicional dos movimentos de esquerda, Mano Brown estava fazendo um alerta para as 96 horas que restam de campanha e de mobilização para que se evite o pior para o país, traduzido na eleição de um fascista, inimigo de todas as liberdades civis. 

A rigor, o recado foi de que não é mais hora de brincadeiras e sim de trabalho forte, sobretudo no discurso. Rejeitar as análises sociológicas que se multiplicam na cena do comentário, tão falsamente complexas como estéreis, tornou-se, na visão de Caetano, um gesto não apenas de resistência, mas de estratégia. 

O sentido que emerge da manifestação dos Arcos da Lapa é o de 'raça', em seu sentido amplo, de mobilização, resistência e caráter. 

Esse coquetel mobilizador aparentemente demonstra tanto a força da espontaneidade quando o gesto decisivo de se partir para cima de uma candidatura fascista que age no rastro das ameaças e das intimidações. Mano Brown, Caetano Veloso e Chico Buarque deram o tom desta reta final, verbalizando um sentimento que toma conta de toda a classe artística brasileira: o sentimento limítrofe da resistência ao arbítrio. 


 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247