Cinemateca Brasileira marca data para reabrir após dois anos de desmonte

Fechada desde agosto de 2020, entidade sofreu com abandono e ataques do governo

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


Rede Brasil Atual -  A Cinemateca Brasileira, em São Paulo, se prepara para reabrir as portas na próxima sexta-feira (13). A entidade está fechada ao público desde agosto de 2020, após sofrer uma série de ataques do governo Bolsonaro e uma sequência de desmontes nos últimos anos. Até mesmo um incêndio atingiu parte do arquivo em dezembro de 2021, conforme os trabalhadores já denunciavam como previsível havia meses.

A Cinemateca preserva o maior acervo audiovisual da América do Sul. Trata-se de uma das mais importantes entidades do tipo no mundo. A mobilização em defesa da instituição foi intensa. Entidades audiovisuais de todo o mundo e personalidades da área se manifestaram pela preservação. Isso, após uma intervenção desastrosa da Secretaria de Cultura, sob comando de Mário Frias.

Reestruturação da Cinemateca

Com o abandono da Cinemateca pelo governo federal, um novo edital foi aberto e a Sociedade Amigos da Cinemateca (SAC) assinou, em março, um contrato de gestão por cinco anos. A entidade tem experiência e já havia administrado o acervo entre 2008 e 2013. Agora, a paisagem nublada começa a clarear. Com uma direção que conta com profissionais experientes do audiovisual brasileiro, a SAC contratou funcionários e reestruturou a Cinemateca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O próximo passo é a reabertura, que já tem data marcada. As primeiras exibições homenagearão um dos principais cineastas da história do país: José Mojica Marins, o Zé do Caixão. Serão exibidos cinco filmes de sexta a domingo (15). Além disso, o espaço reassume sua vocação educativa para o audiovisual, com mesa de debate reunindo o jornalista André Barcinski e os cineastas Dennison Ramalho e Paulo Sacramento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Após um longo período de interrupção, a Cinemateca Brasileira, instituição responsável pela preservação e difusão do maior acervo audiovisual do país, reabre as portas para o público. No primeiro dia do evento, serão exibidos o média-metragem A Praga (1980), restaurado, editado e finalizado pelo produtor Eugenio Puppo, que descobriu as latas do filme perdidas no escritório do cineasta, em 2007, e o curta-metragem A Última Praga de Mojica (2021), dirigido por Cédric Fanti, Eugenio Puppo, Matheus Sundfeld e Pedro Junqueira, que narra esse processo”, afirma a entidade.

Serviço

Cinemateca Brasileira - Endereço: Largo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Mariana, São Paulo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dia 13, sexta-feira, na área externa

(500 lugares)

19h:  Abertura

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

20h: A Última Praga de Mojica (17 min) e A Praga (52 min)

Dia 14, sábado, na Sala Grande Otelo

(210 lugares + 4 assentos para cadeirantes)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

16h: Mesa com André Barcinski, Dennison Ramalho e Paulo Sacramento

18h: Encarnação do Demônio (94 min)

20h: Trilogia de Terror (101 min)

Dia 15, domingo, na Sala Grande Otelo

(210 lugares + 4 assentos para cadeirantes)

18h: O Despertar da Besta (Ritual dos Sádicos) (92min)

20h: Exorcismo Negro (100 min)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email