Desunião total

Em qualquer estilo musical, os ídolos servem de modelo para os fãs. O que é bastante perigoso, uma vez que nem todas as celebridades são o modelo a ser seguido

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

 Herman Rareball, ex-baterista do Scorpions, deu com a língua nos dentes. O compositor de “Rock You Like A Hurricane” disse que odeia os atuais membros da banda, além de criticar duramente os álbuns posteriores à sua saída. Coincidentemente ou não, pouquíssimo tempo após insucesso de seu projeto egocêntrico, cujo nome era algo como “Herman Rareball and band”, e que alcançou níveis de venda semelhantes aos da banda em que eu toquei durante a sétima série. Golpe de marketing? Será? Imagine, de onde sairia uma ideia dessas?

  Já é quase de praxe, mas novamente terei de citar o profundo desagrado que é se deparar com um grupo tão importante e de tamanha personalidade mas que, ao mesmo tempo, é incapaz de esboçar qualquer união, prejudicando a sua própria cena musical ao criar rivalidades internas, um tanto quanto infantis. Ao usarem uma situação como essa, parecem não ver as consequências disso para os seus próprios ideais.

  Nesse e em qualquer outro estilo musical, os ídolos acabam servindo de modelo para os fãs, bem ou mal. O que é bastante perigoso, uma vez que, sabemos, nem todas as celebridades são exatamente o modelo a ser seguido. E dentre as milhares de conotações possíveis a essa última frase, eis que os próprios artistas brigam entre si, dando uma entrevistas um pouco mais árduas ou externando razões pessoais de eventuais separações de suas bandas.

  Recentemente, Dave Mustaine finalmente fez as pazes com James Hetfield, após a sua turbulenta saída do Metallica em 1983. Após mais de vinte anos de fãs discutindo quem era melhor. Para não deixar de passar pelo óbvio, Axl Rose e Slash brigados é deprimente até para quem nunca foi o maior fã de Guns n Roses. No Brasil, lá se foi o segundo vocalista do Angra, dessa vez com menos polêmica – e vale lembrar que a passagem do Edu foi marcada por repetidas e chatas comparações ao André Matos.

  Em contrapartida, vou transcrever uma fala um tanto quanto exaltada do lendário Sebastian Bach, que se consagrou como vocalista do Skid Row, em um show em 1991: “They say this band sucks, and this guy sucks, and this guy sucks...We’re all fuckin’ together, man, can you fuckin’ feel it or what?”

  Que falta fazem outros seiscentos Sebastian espalhados por aí.

  Melhorando o humor do texto, uma música instrumental fantástica da banda alemã Rage, cujo título é tudo que pedimos à nação rock n roll. Unity! Por sinal, a banda trocou de guitarrista sete vezes, e jamais ouviu-se falar de confusão em torno disso...

 

http://www.youtube.com/watch?v=1596ZrDtDpE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email