Governo Bolsonaro publica cobrança de R$ 2,2 mi contra cineasta Kléber Mendonça Filho

Secretaria do Audiovisual publicou portaria determinando que o cineasta Kléber Mendonça Filho devolva em até 30 dias R$ 2,2 milhões ao Fundo Nacional de Cultura utilizados na produção do filme "O Som ao Redor" (2012), que chegou a ser indicado para representar o Brasil no Oscar 2014, ganhou diversos prêmios internacionais e entrou na lista dos 10 melhores filmes de 2012 do jornal New York Times; em abril, o cineasta disse "não ser o primeiro nem o último artista a ser atacado pelo grupo de pessoas que está no poder. Não é novidade"

Governo Bolsonaro publica cobrança de R$ 2,2 mi contra cineasta Kléber Mendonça Filho
Governo Bolsonaro publica cobrança de R$ 2,2 mi contra cineasta Kléber Mendonça Filho (Foto: JEAN-PAUL PELISSIER)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Secretaria do Audiovisual publicou portaria determinando que o cineasta Kléber Mendonça Filho devolva em até 30 dias R$ 2,2 milhões ao Fundo Nacional de Cultura utilizados na produção do filme "O Som ao Redor" (2012). O longa chegou a ser indicado para representar o Brasil no Oscar 2014, ganhou diversos prêmios internacionais e entrou na lista dos 10 melhores filmes de 2012 do jornal New York Times.

Em abril, quando saiu a condenação, o cineasta disse ser alvo de perseguição política em função de suas críticas ao golpe de 2016 durante um festival de Cannes e a atual politica cultural do governo Bolsonaro. "Não sou o primeiro nem o último artista a ser atacado pelo grupo de pessoas que está no poder. Não é novidade", afirmou na ocasião ao jornal O Globo.

De acordo com aportaria, o cineasta teve o último recurso negado e deverá devolver o valor de R$ 999.978,00 utilizados na época em que o filme foi produzido. Com a correção monetária o valor atualizado a ser devolvido pela produtora Cinemascópio chega a R$ 2.242.643,30. Em maio de 2018, após a primeira notificação sobre o caso ter sido expedida pelo extinto Ministério da Cultura, o cineasta encaminhou uma carta aberta à pasta onde afirmava que o filme "O Som ao Redor custou R$ 1.700.000,00 - um milhão e setecentos mil reais - no seu processo de produção, nos anos de 2010 e 2011. Em câmbio corrigido do dia de hoje, O Som ao Redor custou 465 mil (quatrocentos e sessenta e cinco mil) dólares. O MinC deveria premiar produtores que fazem tanto e que vão tão longe com orçamento de cinema tão reconhecidamente enxuto.

A mais nova produção de Kléber Mendonça Filho, "Bacurau", foi selecionada para concorrer à Palma de Ouro do 72º Festival de Cannes, um dos eventos mais importantes do cinema mundial.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247