Governo Bolsonaro publica cobrança de R$ 2,2 mi contra cineasta Kléber Mendonça Filho

Secretaria do Audiovisual publicou portaria determinando que o cineasta Kléber Mendonça Filho devolva em até 30 dias R$ 2,2 milhões ao Fundo Nacional de Cultura utilizados na produção do filme "O Som ao Redor" (2012), que chegou a ser indicado para representar o Brasil no Oscar 2014, ganhou diversos prêmios internacionais e entrou na lista dos 10 melhores filmes de 2012 do jornal New York Times; em abril, o cineasta disse "não ser o primeiro nem o último artista a ser atacado pelo grupo de pessoas que está no poder. Não é novidade"

Governo Bolsonaro publica cobrança de R$ 2,2 mi contra cineasta Kléber Mendonça Filho
Governo Bolsonaro publica cobrança de R$ 2,2 mi contra cineasta Kléber Mendonça Filho (Foto: JEAN-PAUL PELISSIER)

247 - A Secretaria do Audiovisual publicou portaria determinando que o cineasta Kléber Mendonça Filho devolva em até 30 dias R$ 2,2 milhões ao Fundo Nacional de Cultura utilizados na produção do filme "O Som ao Redor" (2012). O longa chegou a ser indicado para representar o Brasil no Oscar 2014, ganhou diversos prêmios internacionais e entrou na lista dos 10 melhores filmes de 2012 do jornal New York Times.

Em abril, quando saiu a condenação, o cineasta disse ser alvo de perseguição política em função de suas críticas ao golpe de 2016 durante um festival de Cannes e a atual politica cultural do governo Bolsonaro. "Não sou o primeiro nem o último artista a ser atacado pelo grupo de pessoas que está no poder. Não é novidade", afirmou na ocasião ao jornal O Globo.

De acordo com aportaria, o cineasta teve o último recurso negado e deverá devolver o valor de R$ 999.978,00 utilizados na época em que o filme foi produzido. Com a correção monetária o valor atualizado a ser devolvido pela produtora Cinemascópio chega a R$ 2.242.643,30. Em maio de 2018, após a primeira notificação sobre o caso ter sido expedida pelo extinto Ministério da Cultura, o cineasta encaminhou uma carta aberta à pasta onde afirmava que o filme "O Som ao Redor custou R$ 1.700.000,00 - um milhão e setecentos mil reais - no seu processo de produção, nos anos de 2010 e 2011. Em câmbio corrigido do dia de hoje, O Som ao Redor custou 465 mil (quatrocentos e sessenta e cinco mil) dólares. O MinC deveria premiar produtores que fazem tanto e que vão tão longe com orçamento de cinema tão reconhecidamente enxuto.

A mais nova produção de Kléber Mendonça Filho, "Bacurau", foi selecionada para concorrer à Palma de Ouro do 72º Festival de Cannes, um dos eventos mais importantes do cinema mundial.

 

Conheça a TV 247

Mais de Cultura

Ao vivo na TV 247 Youtube 247