'Cultura é liberdade e criatividade, uma ameaça aos fascistas e obscurantistas', diz Haddad sobre mudanças no MEI

O ex-prefeito de São Paulo e ex-cadidato à presidência da República, Fernando Haddad, protestou contra a decisão do governo de levar para a ilegalidade milhares de artistas que utilizam o MEI (Microempreendedor Individual) como formalização do trabalho. Ele diz: "cultura é liberdade e criatividade, uma verdadeira ameaça aos fascistas e obscurantistas"

(Foto: Esq.: Alan Santos - PR)

247 - O ex-presidenciável e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad protestou no Twitter neste sábado (7) contra a decisão do governo de acabar com a possibilidade de profissionais ligados à cultura e à arte se registrarem como MEI (Microempreendedor Individual).

A decisão, que entra em vigor a partir de janeiro de 2020, foi analisada por Haddad como uma retaliação de Jair Bolsonaro ao setor de cultura. Ele afirmou que a cultura é uma ameaça aos obscurantisas e fascistas, classe a qual se encaixa o atual governo.

"Bolsonaro retalia todo o setor da Cultura. Para ele, a Cultura é ideológica em si, independentemente da posição política do artista. E ele está certo: Cultura é liberdade e criatividade, uma verdadeira ameaça aos fascistas e obscurantistas", escreveu. 

O Brasil 247 quer a sua ajuda para tomar decisões importantes. Participe da pesquisa

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247