Jorge Furtado: Rosa Weber votou contra sua convicção

O voto da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber continua repercutindo mal. O cineasta Jorge Furtado foi mais uma personalidade que desferiu críticas ao voto da ministra; "Rosa Weber votou contra a sua convicção - ela disse isso - para condenar o Lula. Logo, logo o STF volta a mudar a lei, que assim terá valido só para o Lula. Como disse o Jucá, tramando o golpe: 'Com o supremo, com tudo'", escreveu ele no Twitter

O voto da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber continua repercutindo mal. O cineasta Jorge Furtado foi mais uma personalidade que desferiu críticas ao voto da ministra; "Rosa Weber votou contra a sua convicção - ela disse isso - para condenar o Lula. Logo, logo o STF volta a mudar a lei, que assim terá valido só para o Lula. Como disse o Jucá, tramando o golpe: 'Com o supremo, com tudo'", escreveu ele no Twitter
O voto da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber continua repercutindo mal. O cineasta Jorge Furtado foi mais uma personalidade que desferiu críticas ao voto da ministra; "Rosa Weber votou contra a sua convicção - ela disse isso - para condenar o Lula. Logo, logo o STF volta a mudar a lei, que assim terá valido só para o Lula. Como disse o Jucá, tramando o golpe: 'Com o supremo, com tudo'", escreveu ele no Twitter (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O voto da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber continua repercutindo mal. O cineasta Jorge Furtado foi mais uma personalidade que desferiu críticas ao voto da ministra. 

"Rosa Weber votou contra a sua convicção - ela disse isso - para condenar o Lula. Logo, logo o STF volta a mudar a lei, que assim terá valido só para o Lula. Como disse o Jucá, tramando o golpe: 'Com o supremo, com tudo'", escreveu ele no Twitter.

Com a decisão do STF de negar o Habeas Corpus do ex-presidente Lula, pelo placar de 6x5, aumentam as chances de o principal nome do PT ser preso. 

O partido divulgou nota dizendo que irá até as últimas consequências para que Lula possa ser candidato a presidente da República. "Não há justiça nesta decisão. Há uma combinação de interesses políticos e econômicos, contra o país e sua soberania, contra o processo democrático, contra o povo brasileiro. A Nação e a comunidade internacional sabem que Lula foi condenado sem provas, num processo ilegal em que juízes notoriamente parciais não conseguiram sequer caracterizar a ocorrência de um crime. Lula é inocente e isso será proclamado num julgamento justo".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247