Juiz diz que ataques de secretário da Cultura contra Fernanda Montenegro foi "manifestação de pensamento"

Para o juiz Márcio Teixeira Laranjo, da 21º Vara Civil,, os ataques do secretário da Cultura Roberto Alvim, contra a atriz Fernanda Montenegro foi "manifestação do pensamento" e negou o pedido de retirada do post e a indenização da R$ 30 mil apresentado pelo Sindicato dos Artistas. Alvim chamou a atriz de 90 anos de "sórdida" e a classe teatral de "podre"

Roberto Alvim
Roberto Alvim (Foto: DIVULGAÇÃO/SEC. ESPECIAL DA CULTURA)

247 - O juiz Márcio Teixeira Laranjo, da 21º Vara Civil, negou o pedido de remoção do post e de indenização apresentado pelo Sindicato do Artistas do Estado de São Paulo por conta dos ataques do secretário da Cultura Roberto Alvim contra a classe teatral e a atriz Fernanda Montenegro. A informação é do joranl O Globo.

Em setembro, quando ainda chefiava o centro de artes cênicas da Fundação Nacional das Artes, Alvim chamou a atriz de 90 anos de "sórdida" e a classe de "podre".

Em sua decisão, o juiz relativizou os ataque e afirmou que a remoção do post feriria a "livre manifestação do pensamento" de Alvim.

"A publicação critica aqueles que não compartilham de seu viés ideológico e crítica nada mais é que uma manifestação de pensamento, protegida constitucionalmente”, argumentou o magistrado, que negou a indenização, já que, segundo ele, não houve dano moral coletivo.

O ataque de Alvim contra Fernanda foi feito após a atriz posar para a revista literária "Quatro cinco um". Fernanda Montenegro posou para a capa da publicação em que aparece como uma bruxa amarrada como se fosse condenada pela Inquisição (século 12 d.C.), uma analogia com a censura. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247