Mangueira, Tijuca e Grande Rio se destacam na segunda noite

Mangueira cantou o a histria do bloco Cacique de Ramos, a Unidos da Tijuca fez uma homenagem a Luiz Gonzaga e Grande Rio falou de superao; apurao na quarta

Mangueira, Tijuca e Grande Rio se destacam na segunda noite
Mangueira, Tijuca e Grande Rio se destacam na segunda noite (Foto: TASSO MARCELO/Agência Estado)

247 com Agência Estado - A segunda noite de desfile na Sapucaí acabou no começo desta manhã com desfile da Grande Rio, com um enredo que falou de superação. Mas antes, Mangueira e Tijuca tinham levantado a arquibancada da passarela do samba com enredos que cantaram a história do bloco Cacique de Ramos e uma homenagem a Luiz Gonzaga.

Mangueira
A Mangueira foi a quarta escola a desfilar nesta segunda noite de apresentações das escolas do Grupo Especial do Rio. São 50 alas, 8 alegorias e 4 mil componentes. Dudu Nobre, Alcione Beth Carvalho e Jorge Aragão desfilaram pela escola e aparecem nos carros alegóricos. A Mangueira canta os símbolos da escola; destaque para Cacique de Ramos.

São Clemente
O enredo é sobre os musicais e a escola fala de espetáculos de sucesso no Brasil e no mundo, como "Hair", "A Noviça Rebelde" e "O Fantasma da Ópera". E também "Um Violinista no Telhado", daí o instrumento estranho no ninho da bateria. "O violino anuncia, vem viajar na magia", diz o samba da escola, e o som de suas cordas é ouvido nitidamente Na paradinha, ganha destaque.

Salgueiro
A terceira escola a desfilar, o Salgueiro, deixou a Sapucaí como favorita. O Salgueiro entrou na Sapucaí sob tensão, após dificuldade com dois carros alegóricos em razão do tamanho deles. Passada rapidamente a dificuldade, a escola fez um lindo desfile, levantou o público e levou para a avenida a literatura de cordel e o cangaço, exaltando a figura de Lampião. Por fim fechou a apresentação como um das favoritas do título deste ano.

Unidos da Tijuca
O presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, disse que o carnaval da escola está custando "mais de R$ 10 milhões". O enredo da escola é sobre Luiz Gonzaga, que faria 100 anos em dezembro. Essa é a primeira vez que o carnavalesco Paulo Barros - considerado hoje o mais criativo da Sapucaí - não é o autor. "Nada foi imposto, eu sou fã do Luiz Gonzaga, então a ideia foi minha. Vai ser bom para o Paulo mostrar sua versatilidade no enredo mais clássico", acrescentou Horta.

Grande Rio
A Grande Rio, sexta escola a entrar na Sapucaí, baseou seu enredo no tema ‘superação’, com base nos 24 dias que as escola teve em 2011 para reconstruir 95% do carnaval preparado para aquele ano e que foram destruídos por um incêndio que atingiu a Cidade do Samba. Anjos e a fé aparecem no desfile da escola, que entrou às 4h20 desta manhã, e vem com 28 alas e 6 alegorias.

União da Ilha
A União da Ilha fez uma homenagem ao Reino Unido, num enredo sobre Londres e os Jogos Olímpicos, sempre com uma pitada de irreverência, quebrando a rigidez do protocolo britânico. A Ilha subverteu a ordem desde a comissão de frente - o gari Renato Sorriso, que costuma seguir atrás das escolas, empunhando a vassoura, foi coroado rei. Teve como rainha Maria Augusta Rodrigues, carnavalesca da Ilha nos anos 70. Eles chegaram de carruagem, numa paródia aos cortejos reais.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247