Marta lamenta corte de verbas na Cultura

"Lutamos para isso não acontecer, mas realmente não foi possível. Nós tivemos cortes em vários ministérios e o da Cultura foi um deles. Tivemos que ter o ajuste fiscal e o governo priorizou outras áreas. Foi uma pena, mas a gente vai tentar melhorar”, disse a ministra Marta Suplicy

Marta lamenta corte de verbas na Cultura
Marta lamenta corte de verbas na Cultura (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agênci)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Cristina Indio do Brasil
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O Ministério da Cultura foi um dos que sofreram cortes no Orçamento de 2014. De acordo com a ministra Marta Suplicy, eles são decorrentes de um ajuste fiscal que atingiu também outros setores do governo. Ela destacou, no entanto, que pretende ampliar os recursos, apesar de não informar as alternativas.

“Eu vi que está tendo um ajuste fiscal difícil para todas as áreas do governo e vamos tentar arrumar isso no ano que vem por outros caminhos e possibilidades. Lutamos para isso não acontecer, mas realmente não foi possível. Nós tivemos cortes em vários ministérios e o da Cultura foi um deles. Tivemos que ter o ajuste fiscal e o governo priorizou outras áreas. Foi uma pena, mas a gente vai tentar melhorar”, disse.

A ministra comentou ainda as negociações que os ministérios da Cultura e do Planejamento estão desenvolvendo para atender às reivindicações de mudanças salariais e de plano de cargos dos servidores. 

“Vamos começar a analisar os pedidos para ter uma contraproposta a partir do que veio, sentar em uma mesa e ver como caminhamos. Mas acho que abrimos um diálogo. São muitos anos dessa situação. Acho que o momento de sentar e negociar seriamente chegou. E aonde vamos chegar vai depender das circunstâncias da economia e das possibilidades. Eu entendi perfeitamente as reivindicações”, declarou.

Marta Suplicy informou que as reivindicações estão em uma carta entregue a ela por um grupo dos servidores do setor. “São vários projetos que já se encontram no [Ministério do] Planejamento. Há muito tempo pedindo uma reavaliação dos planos de carreira e etc. Então agora temos que sentar e ver o que é possível fazer. Recebi o documento, mas não é muito diferente do que já vínhamos conversando. Agora eles têm que se debruçar sobre os pontos e analisar para ver aonde vamos poder chegar e fazer uma mesa de negociação”, disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247