“Minorias políticas são maiorias silenciadas”, diz Marcia Tiburi

A professora e filósofa Marcia Tiburi explicou por que as discussões de raça e de gênero são também discussões de classe e por que o avanço das candidaturas classificadas como "identitárias" deve ser celebrado pela sociedade

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Pablo Vergara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A professora e filósofa Marcia Tiburi concedeu uma entrevista aos jornalistas Tereza Cruvinel e Leonardo Attuch, na TV 247, em que abordou o avanço das candidaturas classificadas como "identitárias" nas eleições municipais de 2020 e disse que este é um fenômeno a ser comemorado. Marcia também criticou o termo "identitária", falou em "interseccionalidade", uma vez que gênero, raça e classe social são fenômenos que se conectam, e afirmou que tais candidaturas não defendem interesses de minorias. “Minorias políticas são as maiorias silenciadas na sociedade”, afirma.

Marcia afirmou que gênero é também classe social. "A questão de classe não se resolve no conceito tradicional. As mulheres são a primeira classe social oprimida", disse ela. “O neoliberalismo é a luta dos ricos contra os pobres. Mas também existe a luta dos homens contra as mulheres”, complementou, afirmando que dentro de cada lar também existe uma divisão sexual do trabalho.

Inscreva-se na TV 247 e confira a íntegra da sua entrevista:


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email