Ruffato: Temer é indigno do cargo que ocupa

"Tivesse o mínimo de brio, o mínimo de dignidade, Michel Temer pediria demissão do cargo para o qual não foi eleito e que vem demonstrando, dia a dia, incapacidade moral para exercê-lo. Mas ele não tem brio, não tem dignidade", diz o escritor Luiz Ruffato, ao comentar o caso Geddel Vieira Lima; "Como intercedeu por Geddel, agora Temer protege Eliseu Padilha", afirma

"Tivesse o mínimo de brio, o mínimo de dignidade, Michel Temer pediria demissão do cargo para o qual não foi eleito e que vem demonstrando, dia a dia, incapacidade moral para exercê-lo. Mas ele não tem brio, não tem dignidade", diz o escritor Luiz Ruffato, ao comentar o caso Geddel Vieira Lima; "Como intercedeu por Geddel, agora Temer protege Eliseu Padilha", afirma
"Tivesse o mínimo de brio, o mínimo de dignidade, Michel Temer pediria demissão do cargo para o qual não foi eleito e que vem demonstrando, dia a dia, incapacidade moral para exercê-lo. Mas ele não tem brio, não tem dignidade", diz o escritor Luiz Ruffato, ao comentar o caso Geddel Vieira Lima; "Como intercedeu por Geddel, agora Temer protege Eliseu Padilha", afirma (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Ao comentar o caso Geddel Vieira Lima, o escritor Luiz Ruffato afirmou que Michel Temer "é indigno para o cargo que ocupa".
 
"Hoje sabe-se o motivo pelo qual Michel Temer foi tão enfático em defender Geddel Vieira Lima: ele mesmo teria pressionado Marcelo Calero para mudar o parecer do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan), assim como outro de seus ministros, o da Casa Civil, Eliseu Padilha. Calero afirma que possui gravações que comprovariam suas denúncias. Ou seja, segundo o ex-ministro da Cultura, Temer e Padilha também cometeram crime de concussão. Por muito, muito menos, o vice-presidente, secundado pelo Congresso Nacional e pelo Judiciário, tramou o golpe que derrubou a presidente Dilma Rousseff, contra quem, até hoje, não se comprovou qualquer irregularidade", diz Ruffato.
 
"Como intercedeu por Geddel, agora Temer protege Padilha, ex-ministro dos Transportes no Governo Fernando Henrique (1997-2001) e ministro da Secretaria da Aviação Civil no Governo Dilma (2014-2015), e alvo de vários inquéritos na Justiça por envolvimento em inúmeras irregularidades."


"Tivesse o mínimo de brio, o mínimo de dignidade, Michel Temer pediria demissão do cargo para o qual não foi eleito e que vem demonstrando, dia a dia, incapacidade moral para exercê-lo. Mas ele não tem brio, não tem dignidade", diz o escritor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247