Teatro da Pedra festeja 15 Anos do Projeto Arte por Toda Parte

Para festejar a data o grupo Teatro da Pedra apresentará, no centro histórico de São João del-Rei, seu Cortejo Cênico Musical - Caetanear no próximo dia 30

Grupo Teatro da Pedra comemora 15 anos do projeto Arte por toda parte
Grupo Teatro da Pedra comemora 15 anos do projeto Arte por toda parte (Foto: divulgação/assecom)

247 - O Projeto Arte Por Toda Parte – APTP do Teatro da Pedra completa 15 anos em São João del-Rei, Minas Gerais, e tem feito a diferença na Região. Para festejar a data o grupo apresenta, no centro histórico de São João del-Rei, seu  Cortejo Cênico Musical – Caetanear, no dia 30, às 20h, saindo da rua Getúlio Vargas 138 (bar Pantanal) em direção à Igreja do Carmo. 

O APTP é um projeto de arte-educação de cunho social. É desenvolvido com o apoio de parceiros, prefeituras ou apoiadores, onde os participantes, crianças, jovens e adultos, têm aulas de iniciação ao teatro nas escolas, Associações de Bairro, comunitários, etc. Por muitos anos, além das aulas o grupo levou também espetáculos para as comunidades, muitas das quais nunca tiveram essa oportunidade. As apresentações hoje são feitas por meio dos projetos de circulação do Teatro da Pedra.

Nestes 15 anos já participaram da ação cerca de 30.000 pessoas e destas muitas foram afetadas pela arte e ampliaram seus horizontes. São muitas histórias emocionantes e muitas vidas transformadas.

Um dos casos de sucesso é o distrito de São Miguel do Cajuru, hoje com 2842 habitantes. Quando em 2005 a primeira turma começou no distrito os alunos não tinham interesse pela história do lugar e pensavam viver sem chance de alçar maiores voos. Assim, o primeiro movimento foi revelar aos alunos a história de São Miguel do Cajuru despertando-lhes a curiosidade. E eles foram motivados a irem atrás de histórias e lendas que formaram o distrito. O Teatro da Pedra entende que resgatar a memória é fortalecer a identidade e fazer com que o indivíduo sinta orgulho de pertencer àquele lugar e, por consequência, elevar sua auto estima. Uma aluna do APTP, Eliza Ferreira, deu um depoimento que revela a potência do trabalho com a arte – É como se na minha casa não tivesse janelas e o Teatro da Pedra chegou e me ensinou a abri-las. Eliza hoje é professora na Universidade Federal de Lavras e como ela muitos outros ganharam o mundo e o conhecimento, mas sempre valorizando o local onde nasceram e as pessoas que contribuíram na sua formação e usando a arte como uma ferramenta de descoberta de si mesmo e do mundo.

Teatro da Pedra? Quem são eles? É verdade que mesmo em meio a crise que a cultura enfrenta eles seguem vivendo de arte? É verdade que a Fernanda Montenegro disse que eles exercem seu ofício nas catacumbas possíveis? Do que se alimentam? Como se organizam? Que espetáculos fazem?

O Teatro da Pedra tem sua sede num belo sítio em São João del-Rei, Minas Gerais, talvez essa localização já dê uma pista de tamanha perseverança e consistência, pois no silêncio do campo, cercado de ipês roxos e amarelos, bambuzais, goiabeiras e uvaias a vida segue um ritmo menos atropelado e o foco em como viver de arte seja mais potente, o tempo para a criação, a pesquisa e ensaios também é dilatado. “Hoje não existe mais aqui e ali, interior e centro, tudo é centro só depende do ponto de vista”, segundo o diretor artístico do grupo, Juliano Pereira.

O grupo é composto de 13 atores, diretor artístico e músico como corpo artístico, além do pessoal da comunicação, do financeiro, advogado, contador e alunos. Em 2019 realizou cerca de 70 apresentações dos espetáculos de seu repertório.

Uma dessas apresentações foi o espetáculo Odisseia em Belo Horizonte, no Grande Teatro do SESC Palladium. Casa cheia e boa repercussão. Através de leis de incentivo a meta é chegar com este espetáculo em outras capitais.

Outro espetáculo, Fado, também chegou a Belo Horizonte esse ano, no Cine Horto Galpão. Inspirado no texto de Tolstoi “ O Cadáver Vivo”, trata das angústias humanas e da sociedade opressora.

Em seu repertório, além desses dois grandes espetáculos, tem outros três: “A Incrível Aventura de Agnes Sabida e Joana Destemida”, espetáculo infantil onde o protagonismo feminino é colocado de uma forma bem natural e possibilitou a vinda de escolas municipais da região, cerca de 150 alunos em cada apresentação, foram 11 ao todo, resultado de uma parceria com o Conselho Municipal da Infância e da Juventude.

E o Três Ruas, espetáculo poético para todas as idades, baseado no livro “Nem Palmeira, nem sabiá” de Bartolomeu de Campos Queiroz e que tem sido apresentado em locais alternativos como praças, associação de moradores, escolas etc com muito sucesso.

E um espetáculo destinado ao público adolescente Quase Sem Querer, baseado no “Apanhador do Campo de Centeio” de J.D.Salinger que fez 16 apresentações em escolas estaduais da região.

O Teatro da Pedra é forjado nas alegrias e angústias da alma humana; nos trabalhos e nos dias que a vida propõe e nos mergulhos e pesquisas em diversos temas para que possam levar ao público um olhar que só a arte consegue produzir, um olhar que nos revela humanos, solidários e que pode construir um mundo melhor.

Serviço:

Mostra APTP

Data: 27 e 29 de novembro

Local: Teatro Municipal de São João del-Rei

Horário: 19h

P.S.: A Mostra consiste nos trabalhos produzidos pelas turmas do APTP 2019 e acontece todos os anos, embora conste na programação dos 15 anos é mais voltada para familiares e a comunidade dos alunos que se apresentam.

Cortejo Cênico Musical – Caetanear

Data: 30/11

Horário: 20h

Local: Rua Getúlio Vargas em frente ao bar Pantanal em direção à Igreja N.S. do Carmo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247