Villaça: Aécio está morto, atirá-lo debaixo do ônibus não é sacrifício

O crítico de cinema Pablo Villaça manifestou sua posição favorável à condenação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que virou réu no STF por corrupção e obstrução judicial; "Atirá-lo debaixo do ônibus não representa sacrifício algum pra eles; ao contrário, é útil", disse Villaça no Twitter

O crítico de cinema Pablo Villaça manifestou sua posição favorável à condenação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que virou réu no STF por corrupção e obstrução judicial; "Atirá-lo debaixo do ônibus não representa sacrifício algum pra eles; ao contrário, é útil", disse Villaça no Twitter
O crítico de cinema Pablo Villaça manifestou sua posição favorável à condenação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que virou réu no STF por corrupção e obstrução judicial; "Atirá-lo debaixo do ônibus não representa sacrifício algum pra eles; ao contrário, é útil", disse Villaça no Twitter (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O crítico de cinema Pablo Villaça manifestou sua posição favorável à condenação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que nesta terça-feira (17) virou réu no Supremo Tribunal Fderal por corrupção e obstrução judicial das investigações da Operação Lava Jato. O tucano foi gravado pela Polícia Federal pedindo propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS.

"Exato. Não é à toa que tanto Polícia Federal - A Lei é para Todos quanto O Mecanismo usaram Aécio para fingir isenção: ele está politicamente acabado. Atirá-lo debaixo do ônibus não representa sacrifício algum pra eles; ao contrário, é útil", disse Villaça no Twitter, ao comentar um post do jornalista William de Lucca, que trouxe a seguinte mensagem:

"Aécio não tem salvação. O áudio pedindo propina para o empresário e dizendo que quem fosse receber tinha de ser alguém que pudesse ser morto antes de uma delação tornou sua defesa impossível. Logo, ele será o boi de piranha tucano, a tentativa de dizer que a justiça é para todos".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247