16,5% das vagas criadas no país em 2019 foram intermitentes ou de tempo parcial

Nesta sexta-feira 24, o governo Bolsonaro celebrou os dados do Caged, que apontaram criação de vagas recorde, o maior número desde 2013. Outra informação importante, porém, é que das 644 mil vagas de emprego formal criadas, 16,5% (106 mil) foram nas modalidades de trabalho intermitente ou de regime de tempo parcial

Carteira de Trabalho.
Carteira de Trabalho. (Foto: GABRIEL JABUR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo de Jair Bolsonaro celebrou nesta sexta-feira 24 dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) que apontaram recorde na criação de vagas formais de emprego, o maior número desde 2013.

Outra informação importante, porém, é que das 644 mil vagas de emprego formal criadas, 16,5% (106 mil) foram nas modalidades de trabalho intermitente ou de regime de tempo parcial

No trabalho intermitente, não há jornada regular. O empregado ganha por hora trabalhada No contrato de tempo parcial, são jornadas de até 26 horas ou até 30 horas semanais.

No trabalho intermitente, o saldo foi de 85.716 empregos em 2019, envolvendo 14.007 estabelecimentos e 11.021 empresas contratantes. De acordo com o Caged, 4.328 empregados assinaram contrato nesta condição com mais de uma empresa. Em 2018, o saldo foi de 50 mil vagas.

No regime de tempo parcial foram criados 20.360 empregos envolvendo 26.184 estabelecimentos e 22.326 empresas contratantes. O saldo foi de 21,4 mil em 2018.

Uma pesquisa do Dieese apontou que, em 43% dos vínculos intermitentes, a remuneração foi inferior a um salário mínimo em dezembro de 2018.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email