Aepet: Parente compra crise para vender a Petrobras

Associação dos Engenheiros da Petrobras alerta para o movimento do presidente da Petrobras, Pedro Parente, de potencializar o cenário de crise para que o projeto de venda dos ativos da empresa seja acelerado; "A Aepet avalia que o interesse em aumentar a percepção de um cenário de crise é proporcional à vontade de promover a privatização fatiada da Companhia", diz o texto da associação

Presidente da Petrobras, Pedro Parente, e Petroquímica Suape .2
Presidente da Petrobras, Pedro Parente, e Petroquímica Suape .2 (Foto: José Barbacena)

247 - Em seu site, a Associação dos Engenheiros da Petrobras, critica as ações do comando da companhia para forjar o cenário para venda dos ativos.

Veja o texto publicado:

Na entrevista concedida ao banqueiro Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, na revista Época, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou que "quando a gente perde a noção de que existe uma crise, fazer as coisas difíceis se torna ainda mais difícil. Eu me refiro especificamente ao nosso plano de desinvestimento". Assim, deixa claro que a percepção da crise ajuda a acelerar seu plano privatizante. Parente salientou também que aceitaria permanecer no cargo após o término do mandato de Temer "desde que mantida minha autonomia para decidir".

A Aepet avalia que o interesse em aumentar a percepção de um cenário de crise é proporcional à vontade de promover a privatização fatiada da Companhia.

O presidente da Aepet, Felipe Coutinho, no artigo "A construção da ignorância sobre a Petrobras", detalha como a ignorância alheia é a maior aliada dos que se beneficiam da venda dos ativos da Petrobras, notadamente as multinacionais do petróleo, os banqueiros e seus lacaios

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247