Afetada pelo avanço do coronavírus, produção da indústria automotiva despenca 99% em abril

Produção em abril foi de apenas 1.800 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. A indústria tem uma capacidade para produzir cerca de 5 milhões de veículos por ano no Brasil

Fábrica da Jeep, em Goiana, na Região Metropolitana do Recife
Fábrica da Jeep, em Goiana, na Região Metropolitana do Recife (Foto: Inês Campelo/Jeep/Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A indústria automotiva do Brasil teve queda de 99% na produção de abril ante março, impactada pelas medidas de quarentena adotadas por Estados e municípios na expectativa de conter o avanço da epidemia de coronavírus.

A produção do mês passado somou apenas 1.800 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. A indústria tem uma capacidade para produzir cerca de 5 milhões de veículos por ano no Brasil.

Já as vendas de veículos novos despencaram 66% em abril ante março, para 55,7 mil unidades, informou a associação que representa o setor, Anfavea, nesta sexta-feira.

Com isso, as montadoras encerraram o mês passado com estoques suficientes para quatro meses de vendas. “Só não é pior porque paramos de produzir para preservar caixa”, disse o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, em apresentação transmitida pela internet.

O executivo afirmou que a crise também impactou o setor de locadoras de veículos, um dos principais clientes da indústria automotiva. “Com a crise, cerca de 160 mil carros foram devolvidos pelos motoristas de aplicativos às locadoras por causa da queda no número de corridas”, disse Moraes.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247