Após dois meses de quedas, confiança do consumidor volta a subir

Ano começou com a confiança do consumidor brasileiro em alta diante da melhora das expectativas com a situação presente depois de atingir em dezembro o nível mais baixo desde que Michel Temer assumiu a presidência do país; segundo a Fundação Getúlio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 6,2 pontos e atingiu 79,3 pontos, após terminar 2016 com duas quedas consecutivas; em dezembro de 2016, o indicador chegou a 73,1 pontos, menor nível desde junho passado.

Após dois meses de quedas, confiança do consumidor volta a subir
Após dois meses de quedas, confiança do consumidor volta a subir (Foto: Apu Gomes/Folhapress)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O ano começou com a confiança do consumidor brasileiro em alta diante da melhora das expectativas com a situação presente depois de atingir em dezembro o nível mais baixo desde que o presidente Michel Temer assumiu formalmente a presidência do país, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas divulgados nesta quarta-feira.

Em janeiro, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 6,2 pontos e atingiu 79,3 pontos, após terminar 2016 com duas quedas consecutivas. Em dezembro de 2016, o indicador chegou a 73,1 pontos, menor nível desde junho passado.

"Embora os níveis de incerteza ainda sejam altos e as perspectivas para o mercado de trabalho continuem ruins neste primeiro semestre, as boas notícias da virada de ano aumentam as chances de uma recuperação da confiança (ou, por enquanto, alívio da desconfiança) nos próximos meses", disse em nota a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda Bittencourt.

Segundo a FGV, o Índice da Situação Atual (ISA) avançou 2,9 pontos, para 68,1 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE) subiu 8,3 pontos, para 88,1 pontos.

Em um cenário de recessão econômica e confiança abalada, o presidente Michel Temer afirmou à Reuters que sua maior preocupação é com o desemprego, embora tenha admitido que a retomada das contratações pode demorar.

(Por Gabriela Mello)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email