Aquisição da Oi por concorrentes vai afetar leilão do 5G, afirma presidente do Cade

"Se ocorrer uma redução do número de operadoras, teremos menos players disputando os espectros leiloados pelo governo no 5", afirmou o presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Barreto

Alexandre Barreto
Alexandre Barreto (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Barreto, afirmou que uma possível redução do número de operadoras de telecomunicações no País terá repercussão no leilão de 5G no ano que vem. 

"Se ocorrer uma redução do número de operadoras, teremos menos players disputando os espectros leiloados pelo governo no 5G. É mais um fator que exige a nossa atenção", disse ele em entrevista à CNN Brasil.

Nesta quinta-feira (28), um consórcio formado por Vivo, Claro e Tim aumentou a oferta pela operação de telefonia móvel da concorrente Oi para R$ 16,5 bilhões. Em recuperação judicial, a Oi também negocia com a novata Highline.

"Caso se concretize o que vem se anunciando, vai exigir do Cade uma análise pormenorizada para impedir que o arranjo pós-operação seja ainda mais concentrado e, principalmente, prejudicial ao consumidor", afirmou. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247