Arábia Saudita amplia sanção contra o Brasil e 33 frigoríficos estão proibidos de exportar

Por retaliação a Bolsonaro, o país manteve autorização para que apenas 25 frigoríficos do Brasil exportem carne de frango, de um total de 58 habilitados; notícia inicial era de veto a cinco frigoríficos; de acordo com o ex-secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, o mundo árabe está furioso com o presidente brasileiro

Arábia Saudita amplia sanção contra o Brasil e 33 frigoríficos estão proibidos de exportar
Arábia Saudita amplia sanção contra o Brasil e 33 frigoríficos estão proibidos de exportar (Foto: MPT-RS/Divulgação)

SÃO PAULO (Reuters) - A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) afirmou nesta terça-feira que a Arábia Saudita mantém autorização para 25 frigoríficos do Brasil exportarem carne de frango ao país, de um total de 58 habilitados, confirmando notícia de que o maior importador do produto brasileiro desabilitou unidades.

"As empresas autorizadas constam em uma lista divulgada pelas autoridades sauditas. As razões informadas para a não-autorização das demais plantas habilitadas decorrem de critérios técnicos", disse a ABPA em nota.

O comunicado foi divulgado após a versão online do jornal Folha de S.Paulo revelar que a Arábia Saudita havia desabilitado cinco frigoríficos exportadores.

"Planos de ação corretiva estão em implementação para a retomada das autorizações", acrescentou a ABPA, sem deixar claro no comunicado quantos frigoríficos foram desabilitados.

Segundo a Folha, entre as cinco unidades descredenciadas pelos árabes estão unidades da BRF e JBS.

As ações da BRF chegaram a cair mais de 5 por cento nesta terça-feira, enquanto as da JBS tinham leve alta.

Por Ana Mano

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247