Aumento na gasolina pode custar mais R$ 21 para o consumidor

Após o reajuste do PIS/Cofins que incide sobre a gasolina, o álcool e o diesel anunciado pelo governo Michel Temer, distribuidoras e postos de combustíveis repassaram rapidamente o aumento para o consumidor final; de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), antes do reajuste, o preço médio do litro da gasolina no Rio era de R$ 3,846; depois a média dos preços ficou em R$ 4,11 em 12 postos, conforme o Globo; o dono de um Ford Ka pagou quase R$ 14 a mais para encher o tanque, diferença que chega a R$ 21 para o dono de uma Toyota SW4

temer gasolina
temer gasolina (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Após o reajuste do PIS/Cofins que incide sobre a gasolina, o álcool e o diesel anunciado pelo governo Michel Temer, distribuidoras e postos de combustíveis repassaram rapidamente o aumento para o consumidor final. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), antes do reajuste, o preço médio do litro da gasolina no Rio era de R$ 3,846. Depois a média dos preços ficou em R$ 4,11 em 12 postos, conforme o Globo. O dono de um Ford Ka deve desembolsar quase R$ 14 a mais para encher o tanque, diferença que chega a R$ 21 para o dono de uma Toyota SW4.

O decreto mais que dobra o PIS/Cofins incidente sobre a gasolina, de R$ 0,38 para R$ 0,79 por litro. O litro da gasolina deverá ficar R$ 0,41 mais caro nos postos. O diesel pode subir R$ 0,21 por litro, o que também pode encarecer as tarifas de ônibus.

O litro da gasolina chegava a custar 7,25% a mais (R$ 4,44) em um posto da Gávea, Zona Sul do Rio sobre os R$ 4,14 cobrados na véspera do decreto.. A Tijuca, Zona Norte, foi o bairro com maior reajuste nas bombas: 9,12%.

Segundo cálculos feitos a pedido por um especialista da área de distribuição de combustíveis, o carioca pagará em impostos mais da metade do preço da gasolina. Se somados os 15,9% dos impostos federais (PIS, Cofins e Cide), com 35,1% de ICMS, a carga de impostos totais nos preços da gasolina chega a 51%.

Antes do decreto, o PIS/Cofins representava 11% do preço final do litro da gasolina. Somados aos 31% médios de ICMS, o consumidor pagava 42% em impostos quando abastecia o veículo. Em relação ao diesel, antes da nova alíquota, do preço total, 9% eram referentes ao PIS/Cofins. Juntando com o ICMS, a carga tributária final no diesel já chega a 26%.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247