Banco Mundial reduz previsão de crescimento para o Brasil

As previsões que já eram ruins, ficaram piores; o Banco Mundial reduziu para 0,3% a projeção de crescimento da economia brasileira para 2017; essa perspectiva representa uma redução com relação à anterior, que foi feita em abril e indicava 0,7% para o PIB do país neste ano; nova estimativa foi feita antes do impacto da delação de Joesley Batista, da JBS, que dificultou ainda mais o cenário para a aprovação de reformas com impactos positivos à economia, como a da Previdência e a trabalhista

temer-meirelles
temer-meirelles (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O Banco Mundial reduziu para 0,3% a projeção de crescimento da economia brasileira para 2017. Essa perspectiva representa uma redução com relação à anterior, que foi feita em abril e indicava 0,7% para o PIB do país neste ano. A nova estimativa divulgada ontem foi feita antes do impacto da delação de Joesley Batista, da JBS, que dificultou ainda mais o cenário para a aprovação de reformas com impactos positivos à economia, como a da Previdência e a trabalhista.

No curto prazo, a visão da instituição é a de que o episódio envolvendo a JBS não deverá afetar tanto os prognósticos. No entanto, caso se confirmam efeitos deletérios da delação à agenda de reformas, a estimativa é a de que o Banco terá que rever essa previsão.

"No Brasil e na Argentina, as reformas implementadas nos últimos dois anos para estabilizar as finanças públicas e, no caso da Argentina, melhorar o clima de negócios, deverão produzir resultados positivos", informou o banco em relatório sobre as expectativas de crescimento da economia global. "O Brasil deverá expandir-se a 0,3% em 2017 e acelerar-se a taxa de 1,8% em 2018, ao passo que a Argentina deverá expandir-se a 2,7% neste ano", diz o texto.

As informações são de reportagem do Valor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247