Banco Mundial: salário mínimo no Brasil é alto

O Banco Mundial afirma que o salário mínimo no Brasil atingiu um alto patamar que incentiva a informalidade; de acordo com a instituição, a fórmula de reajuste deve ser revista e considerar indicadores de produtividade do trabalhador; "As restrições das leis trabalhistas às empresas e o alto (e crescente) valor do salário mínimo têm o potencial de limitar as oportunidades de trabalho formal - principalmente para os jovens em busca de emprego", diz o relatório "Emprego e Crescimento - A Agenda da Produtividade"

O Banco Mundial afirma que o salário mínimo no Brasil atingiu um alto patamar que incentiva a informalidade; de acordo com a instituição, a fórmula de reajuste deve ser revista e considerar indicadores de produtividade do trabalhador; "As restrições das leis trabalhistas às empresas e o alto (e crescente) valor do salário mínimo têm o potencial de limitar as oportunidades de trabalho formal - principalmente para os jovens em busca de emprego", diz o relatório "Emprego e Crescimento - A Agenda da Produtividade"
O Banco Mundial afirma que o salário mínimo no Brasil atingiu um alto patamar que incentiva a informalidade; de acordo com a instituição, a fórmula de reajuste deve ser revista e considerar indicadores de produtividade do trabalhador; "As restrições das leis trabalhistas às empresas e o alto (e crescente) valor do salário mínimo têm o potencial de limitar as oportunidades de trabalho formal - principalmente para os jovens em busca de emprego", diz o relatório "Emprego e Crescimento - A Agenda da Produtividade" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O Banco Mundial afirma que o salário mínimo no Brasil atingiu um alto patamar que incentiva a informalidade. De acordo com a instituição, a fórmula de reajuste deve ser revista e considerar indicadores de produtividade do trabalhador.

"As restrições das leis trabalhistas às empresas e o alto (e crescente) valor do salário mínimo têm o potencial de limitar as oportunidades de trabalho formal -- principalmente para os jovens em busca de emprego", diz o relatório "Emprego e Crescimento - A Agenda da Produtividade", lançado nesta quarta-feira (7).

De acordo com a instituição, salários mínimos altos e obrigatórios aumentam os custos dos trabalhadores menos qualificados. Como consequência, há um incentivo para a substituição do trabalho por tecnologias que economizam mão de obra ou empurram os trabalhadores para a informalidade.

Leia a íntegra no Valor

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247