BCE dá ultimato ao Chipre sobre resgate

Banco Central Europeu (BCE) deu ao Chipre até segunda-feira para levantar bilhões de euros com o objetivo de acertar um resgate internacional, ou enfrentará a perda de recursos emergenciais para seus bancos e o inevitável colapso

BCE dá ultimato ao Chipre sobre resgate
BCE dá ultimato ao Chipre sobre resgate (Foto: YORGOS KARAHALIS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Michele Kambas e Paul Carrel

NICÓSIA, 21 Mar (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) deu ao Chipre até segunda-feira para levantar bilhões de euros com o objetivo de acertar um resgate internacional, ou enfrentará a perda de recursos emergenciais para seus bancos e o inevitável colapso.

O ultimato foi dado no momento em que os líderes da ilha realizam discussões sobre um "Plano B" para tentar levantar 5,8 bilhões de euros exigidos pela União Europeia (UE) segundo um resgate de 10 bilhões de euros, depois que parlamentares chamaram um imposto sobre depósitos bancários de "roubo bancário".

O governo disse que os líderes partidários concordaram em criar um "fundo de solidariedade" que reuniria ativos estatais como base para uma emissão emergencial de bônus, mas o porta-voz do Parlamento, Yiannakis Omirou, insistiu que um imposto revisado sobre depósitos maiores, muitos deles de russos, não está em discussão.

O BCE, que tem mantido os bancos do Chipre operacionais com uma linha de liquidez, afirmou que o governo tem até segunda-feira para conseguir um acordo, ou os recursos serão cortados.

"Depois disso, a Assistência de Liquidez Emergencial (ELA, na sigla em inglês) só poderá ser considerada se um programa da UE e do Fundo Monetário Internacional (FMI) estiver em vigor que garanta a solvência dos bancos em questão" informou o banco.

O presidente do banco central do Chipre, Panicos Demetriades, afirmou que espera fechar um pacote de suporte financeiro até segunda-feira. Ele não disse como.

O governo ordenou que os bancos permaneçam fechados até terça-feira. A bolsa de valores também suspendeu as negociações pelo resto da semana.

Havia longas filas em algumas agências bancárias em Nicósia, uma vez que os funcionários reabasteceram os caixas eletrônicos, que continuam a operar enquanto os bancos estão fechados desde a semana passada.

Em Moscou, o ministro das Finanças cipriota, Michael Sarris, afirmou que estava discutindo possíveis investimentos russos nos bancos e em recursos energéticos da ilha para reduzir o peso de sua dívida, assim como uma extensão de um atual empréstimo russo de 2,5 bilhões de euros.

(Reportagem adicional de Karolina Tagaris e Costas Pitas em Nicósia, Georgina Prodhan em Viena, Lidia Kelly e Darya Korsunskaya em Moscou)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email