BNDES fechará suas agências no exterior

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social planeja fechar seus escritórios de representação em Montevidéu e Joanesburgo, além da filial de Londres, que podia emitir títulos, informou nesta sexta-feira, 4, o banco presidido por Maria Sílvio Bastos; alguns dos cerca de 10 funcionários do banco no exterior já começaram a voltar para o Rio de Janeiro

Data: 11/08/2011 Editoria: Novo Portal Valor Reporter: Mariane Goldberg Local: Rio de Janeiro, RJ Pauta: Fotos para o Novo Portal Valor - Novo Site Setor: Finaceiro Personagem: Predio do BNDES na Avenida Chile, 100 Tags: Banco Nacional de Desenv
Data: 11/08/2011 Editoria: Novo Portal Valor Reporter: Mariane Goldberg Local: Rio de Janeiro, RJ Pauta: Fotos para o Novo Portal Valor - Novo Site Setor: Finaceiro Personagem: Predio do BNDES na Avenida Chile, 100 Tags: Banco Nacional de Desenv (Foto: Aquiles Lins)

(Bloomberg) - O BNDES quer fechar seus três postos no exterior até o começo de 2017, como parte da nova estratégia da instituição brasileira sob o comando de sua presidente, Maria Sílvia Bastos, de acordo com a assessoria de imprensa.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social planeja fechar seus escritórios de representação em Montevidéu e Joanesburgo, além da filial de Londres, que podia emitir títulos, informou a assessoria de imprensa. Alguns dos cerca de 10 funcionários do banco no exterior já começaram a voltar para o Rio de Janeiro.

Maria Sílvia assumiu o controle do BNDES há cinco meses e desde o início adotou um tom diferente do de seu antecessor, Luciano Coutinho.

Durante o mandato de Coutinho, o BNDES chegou a emprestar mais do que o triplo do total distribuído globalmente pelo Banco Mundial e foi alvo de críticas por estimular a expansão internacional das chamadas "campeãs nacionais" e por afastar bancos privados do mercado ao oferecer juros subsidiados. Os desembolsos caíram acentuadamente neste ano, com Maria Sílvia pedindo foco na infraestrutura doméstica para apoiar a recuperação econômica do Brasil, que implicará uma nova onda de concessões e privatizações.

O escritório de Montevidéu foi a primeira incursão do banco no exterior, em meados de 2009, seguido no mesmo ano pela subsidiária de Londres. A instituição abriu seu escritório de Joanesburgo em 2013. O BNDES não emite títulos no exterior desde 2014.

No mês passado, o BNDES anunciou que está reavaliando todos os 47 projetos para exportar serviços de engenharia e produtos para os quais havia aprovado financiamentos, com desembolsos suspensos desde maio. Muitas das construtoras que receberam esses financiamentos para serviços em países como Angola e Moçambique foram envolvidas em escândalo depois que uma abrangente investigação revelou o desvio de dinheiro para políticos e altos executivos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247