BNDES registra lucro de R$ 6,4 bi no 3º trimestre

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reportou lucro líquido de R$ 6,414 bilhões no terceiro trimestre de 2016, mais que o dobro dos R$ 3,124 bilhões no mesmo período de 2015; desempenho trimestral foi impulsionado por créditos tributários no valor de R$ 4,514 bilhões; com isso, o BNDES reverteu o prejuízo de R$ 2,174 bilhões do primeiro semestre, acumulando lucro de R$ 4,24 bilhões entre janeiro e setembro de 2016

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reportou lucro líquido de R$ 6,414 bilhões no terceiro trimestre de 2016, mais que o dobro dos R$ 3,124 bilhões no mesmo período de 2015; desempenho trimestral foi impulsionado por créditos tributários no valor de R$ 4,514 bilhões; com isso, o BNDES reverteu o prejuízo de R$ 2,174 bilhões do primeiro semestre, acumulando lucro de R$ 4,24 bilhões entre janeiro e setembro de 2016
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reportou lucro líquido de R$ 6,414 bilhões no terceiro trimestre de 2016, mais que o dobro dos R$ 3,124 bilhões no mesmo período de 2015; desempenho trimestral foi impulsionado por créditos tributários no valor de R$ 4,514 bilhões; com isso, o BNDES reverteu o prejuízo de R$ 2,174 bilhões do primeiro semestre, acumulando lucro de R$ 4,24 bilhões entre janeiro e setembro de 2016 (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reportou lucro líquido de 6,414 bilhões de reais no terceiro trimestre de 2016, mais que o dobro dos 3,124 bilhões de reais do mesmo período de 2015.

Segundo o informe de resultados, o desempenho trimestral foi impulsionado por créditos tributários no valor de 4,514 bilhões de reais sobre o estoque de provisão para risco de crédito do BNDES, que totalizou 11,6 bilhões de reais ao final de setembro.

Com isso, o BNDES reverteu o prejuízo de 2,174 bilhões de reais apurado no primeiro semestre, acumulando lucro de 4,24 bilhões de reais entre janeiro e setembro de 2016, saldo 36,1 por cento menor ante igual intervalo um ano atrás.

As provisões de perdas com crédito de liquidação duvidosa somaram 7,008 bilhões de reais de janeiro a setembro, ante 666,68 milhões de reais no mesmo período de 2015. O montante inclui provisão de 5,27 bilhões de reais com impairments.

A taxa de inadimplência relativa a 30 dias atingiu 1,96 por cento em 30 de setembro, ante 0,06 por cento ao fim de dezembro de 2015, "refletindo a retração da economia", de acordo com o material de divulgação dos resultados.

O índice de Basileia, por sua vez, subiu para 19,4 por cento no terceiro trimestre, de 16,1 por cento ao fim de junho e 14,7 por cento em dezembro de 2015, superando a marca de 10,5 por cento exigida pelo Banco Central. Conforme o BNDES, a alta deve-se ao crescimento do patrimônio de referência de 94,997 bilhões de reais em dezembro de 2015 para 129,881 bilhões de reais em setembro deste ano.

(Por Gabriela Mello)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247