BNDES vai investir de US$ 1 bi para salvar Embraer

A Embraer vai voltar a ter uma importante participação do Estado, 26 anos depois da privatização

(Foto: REUTERS/Roosevelt Cassio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deverá aportar pelo menos US$ 1 bilhão para comprar ações a serem emitidas pela empresa, reforçando a presença estatal. 

Novas parcerias serão buscadas quando a pandemia estiver superada. A ideia não é que a União, que hoje tem, por meio da BNDESPar, cerca de 5% da companhia, volte a controlar a empresa, mas obter liquidez para atravessar o fundo do poço da pandemia. 

O passo seguinte ainda está em aberto. O discurso oficial será o de que a Embraer foi vítima de traição da Boeing e precisa se recuperar para ser vendida. 

Analistas acreditam que o vice-presidente, Hamilton Mourão, depois da pandemia, tentará buscar uma parceria para a Embraer na China. 

Informações do Valor Econômico.
 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247