Bolsa cai e petróleo dispara no mercado futuro após ataque iraniano

Enquanto a bolsa sinaliza baixa, o petróleo do tipo West Texas Intermediate já saltava para US$ 65,46 o barril, com alta de 4,4% na Bolsa de Nova York, após o ataque do Irâ a base dos EUA

(Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com informações de agências - A tensão após a retaliação do governo iraniano contra bases dos EUA no Iraque já refletiu no mercado financeiro. O mercado futuro na bolsa de Nova York e as ações das bolsas asiáticas caíram na noite desta terça-feira (7) após o bombardeio iraniano.

Futuros do S&P 500, que reúne ativos da NASDAQ e NYSE, chegaram a cair 1% após a divulgação das informações e seguem em baixa. 

Já o Nikkei 225, principal índice da bolsa japonesa, caiu a -2,16% por volta de 21h40, horário de Brasília.

O petróleo, por sua vez, subiu. O petróleo do tipo West Texas Intermediate já saltava para US$ 65,46 o barril, com alta de 4,4% na Bolsa de Nova York. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247