Bolsonaro diz que Caixa e BB não estão no 'radar' das privatizações

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSLL) sinalizou que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil não deverão ser privatizados durante sua gestão ao afirmar que "qualquer privatização tem que ser responsável. Não é jogar pra cima e ficar livre. Algumas privatizações ocorrerão. Outras estratégicas, não. Banco do Brasil e Caixa não estão no nosso radar"; Bolsonaro disse, ainda, que pretende propor um outro projeto de reforma da Previdência no próximo ano; segundo ele, a proposta apresentada pelo governo atual é muita agressiva com o trabalhador

Bolsonaro diz que Caixa e BB não estão no 'radar' das privatizações
Bolsonaro diz que Caixa e BB não estão no 'radar' das privatizações (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leo Rodrigues, repórter da Agência Brasil - O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse hoje (29) que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil não estão no radar das privatizações do próximo governo. "Qualquer privatização tem que ser responsável. Não é jogar pra cima e ficar livre. Algumas privatizações ocorrerão. Outras estratégicas, não. Banco do Brasil e Caixa não estão no nosso radar", afirmou.

Bolsonaro informou ainda que pretende propor uma outra Reforma da Previdência no próximo ano e avaliou que a proposta apresentada pelo governo atual é muita agressiva com o trabalhador.

Ele também comentou a Operação Boca de Lobo, que foi deflagrada hoje como mais um dos desdobramentos da Operação Lava Jato, levando à prisão do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. Bolsonaro parabenizou a Lava Jato e disse que o respaldo que ele dá ao combate à corrupção está simbolizado na nomeação do juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça. "O compromisso que eu tive com ele é carta branca para o combate à corrupção".

As declarações ocorreram após solenidade de diplomação do Curso de Aperfeiçoamento de oficiais, na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO). 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247