Bolsonaro diz que pode rever política da Petrobrás de atrelar preço dos combustíveis ao dólar

Em entrevista, o chefe do governo afirmou que "busca rever" o chamado PPI, preço de paridade de importação, que atrela o custo dos combustíveis no Brasil ao mercado internacional

(Foto: Marcos Corrêa/PR | REUTERS/Sergio Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (23), em entrevista ao Portal Correio, da Paraíba, que pode rever a política da Petrobrás de atrelar o custo interno dos combustíveis ao mercado internacional, ou seja, rever o chamado PPI, preço de paridade de importação.

O chefe do governo, no entanto, não detalhou como isso seria feito e disse que a estatal "busca o lucro". "[A Petrobrás] é uma empresa também que eu não tenho domínio sobre ela, tem seu aparelhamento. Ela busca o lucro. Tivemos problema sério no passado, além da corrupção, a questão da paridade com o preço internacional. Estamos buscando rever essa questão".

Atualmente, brasileiros chegam a pagar mais de R$ 7 pelo litro da gasolina. 

PUBLICIDADE

Bolsonaro foi perguntado sobre a existência de um plano para a revogação do PPI, mas se limitou a falar sobre a redução do ICMS - imposto estadual que incide também sobre os combustíveis -, apontado por ele como o grande vilão do aumento dos preços. "Nós temos uma ação no Supremo, já está indo para quatro meses, a gente lamenta ter demorado tanto assim, nós queremos regulamentar um dispositivo de uma emenda constitucional de 2021, para definir o valor do ICMS".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email