Bolsonaro faz novo apelo para evitar greve dos caminhoneiros mas diz que não mexe no preço do diesel

"Não é eu que vou perder, o Brasil vai perder. Os senhores também vão perder", disse Jair Bolsonaro sobre a greve dos caminhoneiros prevista para ter início nesta segunda-feira (1). Ainda segundo ele, a redução dos tributos sobre o diesel resultaria em uma perda de receita de R$ 26 bilhões

Carga pesada
Carga pesada (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro voltou a apelar para que os caminhoneiros não façam a paralisação nacional marcada para ter início nesta segunda-feira (1). Apesar do pedido, ele disse que não reduzir os tributos sobre o preço do óleo diesel – principal reivindicação da categoria – alegando que isso resultaria em um perda de receita bilionária aos cofres públicos. 

"A gente apela para os caminhoneiros, eles realmente são o sangue que leva o progresso, todo o movimento dentro do Brasil. Não é eu que vou perder, o Brasil vai perder. Os senhores também vão perder", disse Bolsonaro neste sábado, de acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo

Ele disse, anda, que a redução do PIS/Cofins incidentes sobre o diesel resultaria em uma perda de receita da ordem de R$ 26 bilhões. "A Receita apresentou para mim onde eu poderia achar parte desse recurso. É cobrir um santo e descobrir outro”, disse. "Eu gostaria, não sei se estou certo, porque tem que falar com o Paulo Guedes [ministro da Economia] antes, que não tivéssemos esse impedimento na Lei de Responsabilidade Fiscal, [de] ao diminuir imposto ser obrigado a achar a fonte para compensar o que foi diminuído em outro local. Se não tivesse, eu zeraria agora imediatamente os R$ 0,33", justificou. Na semana passada, a Petrobrás anunciou um aumento médio de 4,4% nos preços dos combustíveis.

"Vocês têm razão nas reivindicações, no passado houve muita gente comprando caminhões, por planos de governos anteriores. Há um excesso de caminhões na praça. Isso ajuda a diminuir o valor do frete, o que não é bom", disse.

Bolsonaro também afirmou não querer “culpar terceiros” pelo problema e que os preços praticados pela Petrobrás seguem a cotação internacional. "O Brasil todo perde com uma greve. Sabemos dos problemas deles, eu não quero culpar terceiros. Nós fizemos já alguma coisa por eles. Agora, fui em cima da Petrobras, para pegar números. Eu não interfiro na Petrobras. O preço do combustível registrado pelo [Roberto] Castello Branco, seu presidente, leva em conta basicamente o preço da cotação do dólar internacional e o preço do dólar internamente", destacou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email