'Brasil deve priorizar a geração de empregos'

Economista americano Dean Baker, um dos raros estudiosos a identificar a bolha imobiliária nos EUA, ainda no início dos anos 2000, diz que um novo crash como o de 2008 não está no horizonte; sobre a América Latina, diz que grande parte viverá recessões e o melhor a fazer é desvalorizar moedas; nesse cenário, afirma, o Brasil deve priorizar a geração de empregos: “Os custos do desemprego são enormes para os trabalhadores e gerações futuras”

www.brasil247.com - Economista americano Dean Baker, um dos raros estudiosos a identificar a bolha imobiliária nos EUA, ainda no início dos anos 2000, diz que um novo crash como o de 2008 não está no horizonte; sobre a América Latina, diz que grande parte viverá recessões e o melhor a fazer é desvalorizar moedas; nesse cenário, afirma, o Brasil deve priorizar a geração de empregos: “Os custos do desemprego são enormes para os trabalhadores e gerações futuras”
Economista americano Dean Baker, um dos raros estudiosos a identificar a bolha imobiliária nos EUA, ainda no início dos anos 2000, diz que um novo crash como o de 2008 não está no horizonte; sobre a América Latina, diz que grande parte viverá recessões e o melhor a fazer é desvalorizar moedas; nesse cenário, afirma, o Brasil deve priorizar a geração de empregos: “Os custos do desemprego são enormes para os trabalhadores e gerações futuras” (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Para o economista norte-americano Dean Baker, cofundador do Center for Economic and Policy Research, e um dos raros estudiosos a identificar a bolha imobiliária nos EUA, ainda no início dos anos 2000, um novo crash como o de 2008 não está no horizonte. “Haverá mudança por região, mas é difícil enxergar um colapso mundial”, diz.

Em entrevista à ‘Folha de S. Paulo’, ele afirma que países consumidores de commodities serão beneficiados e que produtores têm perspectivas muito ruins.

Sobre a América Latina, diz que grande parte viverá recessões e o melhor a fazer é desvalorizar moedas; nesse cenário, afirma, o Brasil deve priorizar a geração de empregos: “Os custos do desemprego são enormes para os trabalhadores e gerações futuras" (leia mais).

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email