Primeiro ano de Guedes e Bolsonaro tem saída recorde de capitais

Brasil fechou 2019 com uma saída líquida recorde de dólares: US$ 44,768 bilhões, segundo dados do Banco Central. Cifra é quase três vezes pior que a maior saída anual de recursos até então, registrada em 1999

(Foto: Reuters | Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O Brasil fechou 2019 com uma saída líquida recorde de dólares, com uma debandada de 44,768 bilhões de dólares ao longo de todo o ano, mostraram dados do Banco Central nesta quarta-feira.

A cifra é quase três vezes pior que a maior saída anual de recursos até então, registrada em 1999, quando houve um fluxo negativo de 16,182 bilhões de dólares.

Apenas em dezembro, o fluxo de câmbio contratado mostrou déficit de 17,612 bilhões de dólares, pior resultado para qualquer mês desde setembro de 1998 (-US$18,919 bilhões de dólares). Para meses de dezembro, a saída foi a maior registrada desde pelo menos 1982, início da série.

Por José de Castro

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247