Brasil tem superávit primário de R$ 46,94 bi em janeiro

Com maior arrecadação federal em janeiro e boa performance de Estados e municípios, o Brasil registrou superávit primário recorde de R$ 46,940 bilhões, um bom começo de ano e no caminho para cumprir a meta fiscal; o resultado é o melhor mensal já registrado na série histórica do Banco Central iniciada em 2001

Com maior arrecadação federal em janeiro e boa performance de Estados e municípios, o Brasil registrou superávit primário recorde de R$ 46,940 bilhões, um bom começo de ano e no caminho para cumprir a meta fiscal; o resultado é o melhor mensal já registrado na série histórica do Banco Central iniciada em 2001
Com maior arrecadação federal em janeiro e boa performance de Estados e municípios, o Brasil registrou superávit primário recorde de R$ 46,940 bilhões, um bom começo de ano e no caminho para cumprir a meta fiscal; o resultado é o melhor mensal já registrado na série histórica do Banco Central iniciada em 2001 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - Com maior arrecadação federal em janeiro e boa performance de Estados e municípios, o Brasil registrou superávit primário recorde de 46,940 bilhões de reais, um bom começo de ano e no caminho para cumprir a meta fiscal.

O resultado é o melhor mensal já registrado na série histórica do Banco Central iniciada em 2001. Em pesquisa Reuters, a expectativa para janeiro era de que a economia feita para pagamento de juros da dívida pública ficaria em 29,125 bilhões de reais.

O dado acima do esperado veio principalmente pelo superávit primário de 36,530 bilhões de reais do governo central (governo federal, BC e Previdência). Na véspera, o Tesouro já havia apontado que o forte desempenho teve ajuda da arrecadação, que vem respondendo à retomada da economia, e receitas extraordinárias com o Refis, programa de renegociação tributária.

Em 12 meses, o déficit primário do setor público consolidado foi a 100,355 bilhões de reais, equivalente a 1,53 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), melhor que a meta do ano, de rombo de 161,3 bilhões de reais.

Os governos regionais também registraram superávit expressivo, de 10,536 bilhões de reais, sendo 8,538 bilhões de reais de Estados e 1,998 bilhão de reais de municípios. Já as empresas estatais exibiram déficit primário de 126 milhões de reais.

O BC informou ainda que o resultado nominal --receitas menos despesas, incluindo pagamento de juros-- veio positivo em 18,626 bilhões de reais em janeiro, o que não ocorria desde o mesmo mês do ano passado (+299,39 milhões de reais).

Apesar do primário recorde, em janeiro a dívida líquida subiu a 51,8 por cento do PIB, contra 51,6 por cento em dezembro. Já dívida bruta avançou a 74,5 por cento do PIB, contra patamar de 74 por cento no último mês do ano passado.

Por Marcela Ayres

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247