Cade veta feirão de Parente na Liquigás

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vetou a aquisição de 100% do capital social da Liquigás pela Ultragaz, para evitar que a empresa domine o mercado de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha; segundo o Cade, em um cenário pós-operação, a nova empresa responderia por mais de 40% das vendas em vários estados do país; operação, estimada em R$ 2,8 bilhões, foi anunciada pela Petrobras em novembro de 2016 e faz parte do pacote de desinvestimentos da estatal

pedro parente liquigas
pedro parente liquigas (Foto: Aquiles Lins)

247 com Agência Brasil - O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vetou a aquisição de 100% do capital social da Liquigás pela Ultragaz, para evitar que a empresa domine o mercado de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha.

De acordo com a relatora, Cristiane Alkmin Junqueira Schmidt, Ultragaz e Liquigás detêm, respectivamente, a maior e a segunda maior participação de mercado nacional de GLP. Em um cenário pós-operação, a nova empresa responderia por mais de 40% das vendas em vários estados do país.

A operação, estimada em R$ 2,8 bilhões, foi anunciada pela Petrobras em novembro de 2016 e faz parte do pacote de desinvestimentos da estatal.

A sessão de julgamento ocorreu nessa quarta-feira (28). A maioria do Conselho considerou que a operação poderia ser negativa para os consumidores.

Em agosto de 2017, a Superintendência-Geral do Cade já havia alertado, em seu parecer, para a elevada concentração resultante da operação, que eliminaria um forte concorrente em um mercado onde apenas quatro empresas respondem por mais de 85% da oferta.

O preço do gás de cozinha tem tido constantes altas. No mês passado, o presidente Michel Temer afirmou que governo estuda medidas para reduzir o impacto do preço do gás de cozinha para a população de baixa renda.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247