Caixa quer afastar vices definitivamente

A tendência do atual Conselho de Administração da Caixa é afastar de forma definitiva quatro vice-presidentes do banco que foram afastados de seus cargos por 15 dias - Deusdina dos Reis Pereira (Fundos de Governo e Loterias), Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo), Antônio Carlos Ferreira (área Corporativa) e José Henrique Marques da Cruz, chefe da área de Clientes, Negócios e Transformação Digital; procuradores responsáveis pela Operação Greenfield enviaram um ofício a Temer, alertando que ele poderia ser responsabilizado por "eventuais novos ilícitos" cometidos pelos gestores do banco

A tendência do atual Conselho de Administração da Caixa é afastar de forma definitiva quatro vice-presidentes do banco que foram afastados de seus cargos por 15 dias - Deusdina dos Reis Pereira (Fundos de Governo e Loterias), Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo), Antônio Carlos Ferreira (área Corporativa) e José Henrique Marques da Cruz, chefe da área de Clientes, Negócios e Transformação Digital; procuradores responsáveis pela Operação Greenfield enviaram um ofício a Temer, alertando que ele poderia ser responsabilizado por "eventuais novos ilícitos" cometidos pelos gestores do banco
A tendência do atual Conselho de Administração da Caixa é afastar de forma definitiva quatro vice-presidentes do banco que foram afastados de seus cargos por 15 dias - Deusdina dos Reis Pereira (Fundos de Governo e Loterias), Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo), Antônio Carlos Ferreira (área Corporativa) e José Henrique Marques da Cruz, chefe da área de Clientes, Negócios e Transformação Digital; procuradores responsáveis pela Operação Greenfield enviaram um ofício a Temer, alertando que ele poderia ser responsabilizado por "eventuais novos ilícitos" cometidos pelos gestores do banco (Foto: Leonardo Lucena)

247 - A tendência do atual Conselho de Administração da Caixa Econômica Federal é afastar de forma definitiva quatro vice-presidentes do banco que foram afastados de seus cargos por 15 dias - Deusdina dos Reis Pereira (Fundos de Governo e Loterias), Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo), Antônio Carlos Ferreira (área Corporativa) e José Henrique Marques da Cruz, chefe da área de Clientes, Negócios e Transformação Digital.

Integrantes do colegiado afirmaram à Folha que a volta de dirigentes sob suspeita compromete a imagem do banco. O Banco Central e a Procuradoria da República do Distrito Federal recomendaram exonerações e, em caso de manutenção dos dirigentes, os dois órgãos também poderiam entrar com ações na Justiça.

Procuradores responsáveis pela Operação Greenfield enviaram um ofício a Michel Temer, alertando que ele poderia ser responsabilizado por "eventuais novos ilícitos" cometidos pelos gestores do banco.

A operação investiga indícios da existência de um esquema de cooptação de testemunhas para que não contribuíssem com a apuração de supostas irregularidades envolvendo fundos de pensão.

 

 

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247