Chineses fazem a farra no Brasil em liquidação

Venda de ativos do Brasil feito a toque de caixa pelo governo Michel Temer tem atraído investidores chineses ávidos em investir no país; somente no ano passado, os chineses investiram R$ 23,9 bilhões na compra de ativos nacionais, cerca de 80% mais que os investidores norte-americanos; apenas no primeiro semestre deste ano, os chineses investiram R$ 17,8 bilhões, contra R$ 12,3 bilhões de investidores ocidentais; investimentos, que antes concentravam-se na área de energia, agora avançam pelo setor de infraestrutura, mais especificamente portos e aeroportos; entrega do patrimônio nacional é apenas mais uma face do golpe que quebrou o Brasil

Venda de ativos do Brasil feito a toque de caixa pelo governo Michel Temer tem atraído investidores chineses ávidos em investir no país; somente no ano passado, os chineses investiram R$ 23,9 bilhões na compra de ativos nacionais, cerca de 80% mais que os investidores norte-americanos; apenas no primeiro semestre deste ano, os chineses investiram R$ 17,8 bilhões, contra R$ 12,3 bilhões de investidores ocidentais; investimentos, que antes concentravam-se na área de energia, agora avançam pelo setor de infraestrutura, mais especificamente portos e aeroportos; entrega do patrimônio nacional é apenas mais uma face do golpe que quebrou o Brasil
Venda de ativos do Brasil feito a toque de caixa pelo governo Michel Temer tem atraído investidores chineses ávidos em investir no país; somente no ano passado, os chineses investiram R$ 23,9 bilhões na compra de ativos nacionais, cerca de 80% mais que os investidores norte-americanos; apenas no primeiro semestre deste ano, os chineses investiram R$ 17,8 bilhões, contra R$ 12,3 bilhões de investidores ocidentais; investimentos, que antes concentravam-se na área de energia, agora avançam pelo setor de infraestrutura, mais especificamente portos e aeroportos; entrega do patrimônio nacional é apenas mais uma face do golpe que quebrou o Brasil (Foto: Paulo Emílio)

247 - A venda de ativos do Brasil feito a toque de caixa pelo governo Michel Temer tem atraído investidores chineses ávidos em investir no país. Somente no ano passado, os chineses investiram R$ 23,9 bilhões na compra de ativos nacionais, cerca de 80% mais que os investidores norte-americanos. Somente no primeiro semestre deste ano, os chineses investiram R$ 17,8 bilhões, contra R$ 12,3 bilhões de investidores ocidentais.

Atualmente, a maioria dos investimentos chineses está concentrada no setor de energia, mas a tendência é que isto mude a curto prazo, com destaque para o setor de infraestrutura, mais especificamente portos e aeroportos. Na semana passada, por exemplo, os orientais compraram 90% do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), por R$ 2,9 bilhões.

Para executivos de bancos, o apetite chinês pelo Brasil deve continuar. Segundo o diretor da área de banco de investimentos do Itaú BBA, Roderick Greenlees, o número de consultas neste ano já supera o registrado em 2016 e muitos negócios envolvem setores como bebida e alimentos, além de commodities e imóveis.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247