Chineses já controlam geração de energia no Brasil

Com as empresas nacionais à venda, os chineses têm ocupado espaço no setor elétrico brasileiro. Em cerca de cinco anos de atuação no Brasil, empresas chinesas fizeram pesados investimentos e já se tornaram líderes na geração de energia; em receita, apenas com as aquisições feitas neste ano duas gigantes chinesas chegam em segundo lugar no setor, atrás apenas da Eletrobras, que teve faturamento de R$ 32,6 bilhões ano passado

Chineses já controlam geração de energia no Brasil
Chineses já controlam geração de energia no Brasil

247 - Com as empresas nacionais à venda, os chineses têm ocupado espaço no setor elétrico brasileiro. Em cerca de cinco anos de atuação no Brasil, empresas chinesas fizeram pesados investimentos e já se tornaram líderes na geração de energia, informa reportagem do Valor.

"Em termos de receita, apenas com as aquisições feitas neste ano as duas chinesas chegam em segundo lugar no setor, atrás apenas da Eletrobras, que teve faturamento de R$ 32,6 bilhões ano passado. A CTG concentra apenas ativos de geração de energia, mas a State Grid, que entrou no país como transmissora, já diversificou suas operações", diz o texto.

"Instalada no Brasil desde 2010, a State Grid já tem 7,6 mil km de linhas de transmissão em operação e 9,8 mil km em construção, quase 20% de toda a rede elétrica brasileira. O grupo é responsável pela construção dos dois linhões que escoarão energia da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA), para a região Sudeste. Em 2015, o faturamento no Brasil somou R$ 1 bilhão. O país já responde por cerca de 20% das receitas da companhia fora da China.

Esse percentual deve crescer consideravelmente. A State Grid caminha para concluir a aquisição da CPFL Energia, maior companhia integrada privada do setor elétrico, com 3,1 gigawatts (GW) de capacidade instalada de geração e o faturamento de 57,558 mil GWh em 2015 na área de concessão das suas oito distribuidoras de energia. A operação pode chegar a R$ 25 bilhões.

A CPFL teve a terceira maior receita líquida do setor elétrico em 2015, somando R$ 20,2 bilhões, atrás da Eletrobras e da Cemig. Em junho, a CPFL comprou ainda a distribuidora AES Sul, operação que deve ser concluída em breve.

A CTG também cresceu rapidamente no país. Desde 2013, quando foi oficialmente lançada no Brasil, alcançou, por meio de aquisições, uma posição de destaque no setor de geração de energia, incluindo a renovável."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247