Cinco maiores estatais demitiram 25% dos funcionários desde o golpe contra Dilma

Os governos Temer e Bolsonaro contribuíram para elevar o desemprego não apenas com suas políticas recessivas, mas também com demissões diretas em empresas como Petrobrás e Banco do Brasil, seguindo a cartilha neoliberal de FHC

www.brasil247.com - Dilma Rousseff, Jair Bolsonaro, Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer
Dilma Rousseff, Jair Bolsonaro, Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer (Foto: Divulgação)


247 – "As cinco grandes estatais federais do país — Banco do Brasil, Correios, Caixa, Petrobras e Eletrobras — perderam mais de 111 mil empregados entre o início de 2015 e março deste ano. Juntas, cortaram pouco mais de um quarto de seu pessoal nesse período, recuando para um total de 327.397, segundo o Panorama das Estatais, do Ministério da Economia", informam Glauce Cavalcanti , Carolina Nalin e Gabriela Medeiros, em reportagem publicada no Globo.

"As maiores baixas estão concentradas na Eletrobras (-45,8%) — em vias de ser concedida à iniciativa privada — e na Petrobras (-42%)", apontam as jornalistas. Isso significa que os governos Temer e Bolsonaro contribuíram para elevar o desemprego não apenas com suas políticas recessivas, mas também com demissões diretas em empresas como Petrobrás,. Correios, Eletrobrás, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email