Com país quebrado, Caixa reduz recursos para habitação

A Caixa Econômica Federal reduziu os limites de financiamento para imóveis novos de 90% para 80%, e usados de 70% para 60%, em meio à crise econômica gerada pelo golpe e pelo governo Temer; segundo nota da Caixa, o objetivo é a "adequação em relação à política de alocação de capital do banco"

feirão da caixa
feirão da caixa (Foto: Gisele Federicce)

Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal (Caixa) reduziu os limites de financiamento para imóveis novos de 90% para 80%, e usados de 70% para 60%.

A mudança abrange financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) - programa Minha Casa, Minha Vida e linhas Pró-Cotista e CCFGTS - e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Segundo nota da Caixa, o objetivo é a "adequação em relação à política de alocação de capital do banco". A instituição disse ainda que menos de 10% dos clientes que procuram o banco para realizar operações de financiamento serão afetados.

Nos financiamentos via FGTS regulados segundo a tabela SAC, caiu de 90% para 80% o limite para imóveis novos pelo Minha Casa, Minha Vida, Pró-Cotista e CCFGTS.

Ainda na tabela SAC, caiu igualmente de 90% para 80% o limite financiado com recursos do SBPE para imóvel novo, adjudicado, construção em terreno próprio ou aquisição de terreno e construção (servidor público) e imóvel adjudicado (demais clientes).

Por fim, em financiamentos regulados pela tabela Price, o limite para financiar imóvel usado caiu de 70% para 60% no Pró-Cotista e de 80% para 70% no CCFGTS.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247