Com taxa de desemprego de 3,95%, China diz que ainda há desafios a superar

Taxa de desemprego da China atingiu o menor nível em vários anos, a 3,95% no fim de setembro, mas ainda há desafios para o emprego enquanto a economia caminha em direção a reformas, informou o Ministério do Trabalho chinês; Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social disse em comunicado que 10,97 milhões de empregos foram criados entre janeiro e setembro deste ano, um crescimento de 300 mil ante o ano anterior

Chinese workers assembling circuit boards at a factory in Mianyang, southwest China's Sichuan province on April 30, 2012. China's manufacturing activity rose in April to a 13-month high, o
Chinese workers assembling circuit boards at a factory in Mianyang, southwest China's Sichuan province on April 30, 2012. China's manufacturing activity rose in April to a 13-month high, o (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A taxa de desemprego da China atingiu o menor nível em vários anos, a 3,95 por cento no fim de setembro, mas ainda há desafios para o emprego enquanto a economia caminha em direção a reformas, informou o Ministério do Trabalho chinês neste domingo.

O Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social disse em comunicado que 10,97 milhões de empregos foram criados na China entre janeiro e setembro deste ano, um crescimento de 300 mil ante o ano anterior.

O dado mostra que a meta do ministério para o fim do ano foi essencialmente cumprida, disse o ministério em uma declaração entregue à imprensa.

Apesar de estar adiantado, o ministro Yin Weimin disse aos repórteres que "aumentar a capacidade de empregar os trabalhadores ainda está pressionada de forma geral".

"Precisamos criar 15 milhões de empregos por ano", disse Yin, destacando os 8 milhões de universitários formados na China todos os anos que entram no mercado de trabalho como um grupo que precisa de mais empregos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247